GUERRAS MUNIDAIS

Aleksander Vasilevski

Aleksander Vasilevski era o encarregado do planejamento e coordenação de quase todas as ofensivas soviéticas, desde a contraofensiva em Stalingrado até a captura de Königsberg.

Vasilevski nasceu em 30 de setembro de 1895, em Novaya Golchikha. Diante da eclosão da Primeira Guerra Mundial, segundo suas próprias palavras, ele se sentiu "tomado por sentimentos patrióticos" de forma que decidiu se alistar como soldado. Assim começou sua carreira militar, alcançando o cargo de capitão em 1917, com apenas 22 anos. Após uma aposentadoria prematura, foi recrutado novamente para o Exército Vermelho. Participou da Revolução de Outubro, da Guerra Civil e da Guerra Polaco-Soviética. Em 1930, alcançou o cargo de comandante de regimento.

O talento de Vasilevski não passou despercebido e, em agosto de 1941, foi nomeado Chefe Adjunto do Estado Maior, o que lhe tornou uma das figuras-chave entre os líderes militares soviéticos. Um ano mais tarde, seria nomeado Chefe do Estado Maior e ascenderia a Coronel General. Assim, desfrutou da quase ilimitada confiança de Stalin.  Algumas versões da história especulam que Vasilevski foi designado para posições militares tão elevadas porque era fácil de ser manipulado.

Vasilevski foi o representante da STAVKA no front de Stalingrado, onde se antecipou corretamente ao principal ataque dos nazistas. Desde então, coordenou a contraofensiva em Stalingrado, que resultou na vitória diante do exército alemão, sendo uma batalha que logo se tornaria a derrota das forças lideradas por Hitler.

No começo de 1943, Vasilevski coordenou as ofensivas decisivas na parte superior de Don, que cercou diversas divisões de nazistas. Nesse mesmo ano, foi nomeado Marechal da União Soviética, máximo ranque possível dentro das forças armadas.

Em 10 de maio de 1944, Vasilevski quase perde a vida ao passar com seu carro sobre uma mina terrestre enquanto realizava uma inspeção, resultando em um ferimento na cabeça. Sem entraves, Vasilevski ainda conseguiu comandar a operação que terminou na captura de Königsberg, sendo reconhecido pelo Exército Vermelho com a Ordem da Vitória pela segunda vez.

Sua última grande conquista foi a vitória na operação Tormenta de Agosto. Nessa ocasião, ele derrotou os exércitos japoneses com apenas 37 mil baixas, entre os 1.600.000 soldados utilizados na batalha.

Após a Segunda Guerra Mundial, Vasilevski se manteve como Chefe do Estado Maior. Também assumiu o Ministério de Defesa Soviético. Logo após a morte de Stalin, em 1953, perdeu popularidade e foi substituído.

A. Vasilevski faleceu em 5 de dezembro de 1977. Suas cinzas foram depositadas na Necrópolis situada no muro do Kremlin de Moscou.