AYRTON SENNA

Ayrton Senna

Ayrton Senna da Silva foi um piloto de Fórmula-1, considerado um dos melhores da história do esporte e também um dos ídolos mais queridos do esporte brasileiro.

Nascido no dia 21 de março de 1960, em São Paulo, Ayrton Senna morreu aos 34 anos, no dia 1 de maio de 1994, quando o mundo assistiu pela televisão ao seu grave e fatal acidente durante o GP de San Marino. Era o seu terceiro GP da temporada, e o brasileiro perdeu o controle da sua Williams na curva Tamburello. Ele chocou-se violentamente contra o muro de concreto e não resistiu aos ferimentos. Senna chegou a ser levado ao hospital, mas foi declarado oficialmente morto horas depois.

O importante é ganhar. Tudo e sempre. Essa história de que o importante é competir não passa de pura demagogia.

Em seu carro, foi encontrada uma bandeira austríaca que, em caso de uma vitória, Senna planejava levantar em homenagem ao austríaco Roland Ratzenberger, morto um dia antes no mesmo circuito. Senna foi enterrado no cemitério do Morumbi, em São Paulo, e o governo brasileiro declarou três dias de luto oficial. Ao piloto também foram concedidas honras de chefe de Estado, com a salva de tiros. Na sua carreira, conquistou três títulos mundiais, 41 vitórias, 80 pódios e 65 pole positions.

 

Sucesso no kart

Somos insignificantes. Por mais que você programe sua vida, a qualquer momento tudo pode mudar.

Senna teve sua primeira experiência ao volante aos quatro anos de idade, quando seu pai construiu um pequeno kart. Apesar da idade, o garoto já mostrava que tinha talento, dando sinal do seu grande futuro. Em 1973, com apenas 13 anos, fez sua estreia profissional no kart, categoria que, em suas próprias palavras, trouxe as maiores alegrias da sua carreira. Três anos depois, venceu o Campeonato Paulista de Kart. Em 1977, conquistou o Sul-Americano. Ele também participou do mundial da categoria, de 1978 a 1982, sagrando-se vice-campeão em 1979 e 1980.

Desde então, após uma série de maus resultados, se dedicou ao desenvolvimento de uma técnica para pilotar sob a chuva, que o levou a grandes vitórias. Depois de se mudar para a Inglaterra, começou a pilotar em diferentes categorias – Fórmula Ford 1600, Fórmula Ford 2000 e Fórmula 3. Nesta época, decidiu adotar o sobrenome de sua mãe, assinando Ayrton Senna, em vez de Ayrton da Silva.

 

Fórmula-1

Eu não tenho ídolos. Tenho admiração por trabalho, dedicação e competência.

Seu talento despertou os olhares de várias equipes de Fórmula 1, e Senna fechou contrato com a pequena Toleman. Sua estreia na categoria, em 1984, foi bastante difícil para o principiante, mas o brasileiro ganhou destaque ao mostrar habilidade para garantir um segundo lugar no GP de Mônaco.

Em 1985, assinou com Lotus, garantindo suas primeiras pole positions e sua primeira vitória em um GP, em Portugal. A sua permanência na equipe durou mais dois anos, período em que terminou a temporada na quarta colocação em duas ocasiões (1985 e 1986) e com um terceiro lugar (1987).

 

Consagração pela McLaren

O brasileiro só aceita título se for de campeão. E eu sou brasileiro.

Senna decidiu deixar escuderia em 1988, quando assinou com a McLaren. Pela sua nova equipe, conquistou três mundiais: 1988, 1990 e 1991, todos no GP de Suzuka. Além de títulos, sua carreira também foi marcada por polêmicas e duelos históricos contra o seu maior rival, o francês Alain Prost, outro piloto que é considerado um dos maiores da história.

Depois de uma época triunfante pela McLaren, Senna mostrava vontade de correr pela Williams, que tinha o carro mais competitivo. Seu desejo se realizou na temporada de 1994. Nas duas primeiras corridas, no Brasil e no Japão, Senna conseguiu a pole position, mas não completou nenhuma das provas. Na terceira etapa, em San Marino, aconteceu o acidente fatal que acabou com a vida de um dos mais brilhantes pilotos de toda a história do automobilismo.

 

Foto: Instituto Ayrton Senna (Commons: Ayrton Senna 9.jpg) [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons