MÚSICA

Chorão

Alexandre Magno Abrão, mais conhecido pelo apelido de Chorão, foi o vocalista, principal letrista e cofundador da banda de rock santista Charlie Brown Jr., formada em 1992. O músico, que teve sua carreira abreviada por uma overdose que o levou à morte, aos 42 anos, marcou toda uma geração. Além do legado musical composto por vários hits de sucesso, como “Proibida pra Mim”,”Tudo que Ela Gosta de Escutar” e “Vou te Levar”, Chorão também destacou-se por levar os holofotes para a cena do skate e tornou-se um dos principais incentivadores do esporte no Brasil.

Chorão nasceu em São Paulo, no dia 9 de abril de 1970, e se mudou para Santos, no litoral paulista, quando era adolescente. Seus pais se separaram quando ele tinha 12 anos e o futuro músico teve que ajudar a mãe, que trabalhava como cozinheira, entregando pastéis. Com baixo rendimento na escola, parou de estudar na sétima série e teve alguns pequenos problemas com a polícia. Skatista, chegou a ser vice-campeão paulista na modalidade freestyle. O apelido de Chorão surgiu por conta das brincadeiras de outros skatistas, que diziam para o então garoto não chorar, quando ele ainda não sabia andar de skate.

 

A formação do Charlie Brown

Depois de integrar uma banda chamada What s Up, Chorão montou a Charlie Brown Jr. com o amigo e baixista Champignon, em 1992. Fãs de Raimundos, Nirvana, Red Hot Chili Peppers, Nação Zumbi e Planet Hemp, os músicos também tinham influências de grupos como Sublime, Bad Brains e 311, misturando hardcore punk, skate e reggae.

De um cenário alternativo do skate de Santos e São Paulo, o grupo  logo conheceu o estrelato e chegou a vencer dois prêmios do Grammy Latino, com o melhor álbum de rock brasileiro - em 2005, por "Tâmo aí na Atividade"; e 2010 por "Camisa 10 Joga Bola Até na Chuva". Em 11 anos de atividades - com diferentes formações e algumas interrupções-, a banda lançou dez álbuns e vendeu mais de 5 milhões de cópias.

 

A separação e a morte trágica

Em 2005, por conta da morte do pai, do desgaste das turnês e dos frequentes desentendimentos entre os integrantes, a primeira formação do Charlie Brown Jr. chegou ao fim. Antes amigos, ele e Champignon chegaram a trocar ofensas publicamente. Nesta mesma época, também tornou-se pública a dependência química de Chorão, que engordou mais de 20 kg e seguiu com a banda com diferentes formações.

 

Champignon

No início de 2011, o guitarrista Marcão, da formação inicial, retornou ao grupo. E, em junho do mesmo, Chorão e Champignon resolveram suas diferenças e o baixista também voltou a fazer parte da banda. Mas os problemas com drogas atrapalharam, mais uma vez, a vida do músico. A separação da segunda esposa, a estilista Graziela Gonçalves, após 15 anos de relacionamento, foi a gota d´água.

Chorão foi encontrado morto em seu apartamento na Zona Oeste de São Paulo, no dia 6 de março de 2013. O local, que era frequentado por ele para o uso de drogas, foi encontrado todo destruído, mas sem nenhum sinal de arrombamento. O laudo médico e o exame toxicológico apontaram overdose de cocaína como a causa da morte do líder do Charlie Brown Jr., que deixou um filho na época com 23 anos. Além da música, Chorão também exerceu algumas atividades paralelas.  Em 2007, escreveu o roteiro do filme "O Magnata" e, em 2009, lançou sua marca de roupas a DO.CE.

 

Foto: Wikimedia Commons / Guilherme Testa