A BÍBLIA

Daniel

O significado atribuído ao seu nome é  “Deus é meu juiz”. Citado na Bíblia, em Mateus 24:15 como um dos profetas do Antigo Testamento, sua vida e profecias são relatadas em um dos livro que leva o seu nome e a quem a autoria é atribuída por muitos. Tanto para os judeus como para os cristãos, o livro foi escrito por ele no século VI a.C..

 

Nascido em uma família judaica de alto nível, o jovem de 18 anos, hebreu da tribo de Judá, foi levado pelo rei Nabucodonossor, para a Babilônia, e onde estudou a cultura dos caudeus por 3 anos e teve seu nome mudado para Beltessazar.

 

Em um dos trechos que citam seu nome, existe um que conta que após o Rei Nabucodonossor ter tido alguns sonhos perturbadores, pediu para que chamassem os magos, astrólogos, encantadores e caldeus, para ajudarem a interpretar tais sonhos (Daniel 2:1-2).

 

Como ninguém conseguiu dar uma interpretação que o agradou, o Rei furioso ordenou que matassem todos os sábios babilônicos. Ao ver que não tinha escapatória, Daniel clama a Deus para que consiga interpretar tais sonhos, e com o calor da emoção, consegue encontrar as palavras que tocam o coração de Nabucodonossor.

 

Com a profundidade de suas palavras, o rei oferece a Daniel muitas dádivas, incluindo o titulo de governador da Babilônia, chefe supremo de todos os “sábios” (Daniel 2:48-49) e, por fim, tornou-o seu principal conselheiro, pois casos como este se repetiram mais algumas vezes. Daniel serviu um total de cinco reis babilônios e dois reis medo-persas. No governo de três deles, Nabucodonosor, Belsazar e Dario, ele serviu como primeiro ministro.

 

A data e as circunstâncias de sua morte, na Babilônia, são desconhecidas. Existem aos menos seis lugares tidos como o local do sepultamento tradicional do profeta bíblico Daniel, um profeta judeu reverenciado no Irã. O túmulo localizado em Susa, Irã, é a mais amplamente aceita, e  tornou-se uma atração turística popular, principalmente entre os muçulmanos locais e comunidades judaica-iranianas.

 

Outros prováveis locais de seu sepultamento são: Babilônia, atual Iraque, que dedica o dia 21 de julho para celebrar sua morte; Kirkuk, Turquistão, no Iraque; Samarcanda, Uzbequistão; Muqdadiyah, Iraque; Mala Amir, Turquistão, Iraque.