GUERRAS MUNIDAIS

Horatio Kitchener

Horatio Herbert Kitchener foi um importante militar e político britânico, que conduziu a grande campanha de recrutamento por parte das forças inglesas. Ele nasceu em Ballylongford, na Irlanda, em 24 de junho de 1850. Estudou na Real Academia Militar da Suíça e lutou como voluntário no exército francês durante a guerra franco-prussiana. Em 1871, se alistou nos Engenheiros Reais do Exército Britânico, servindo na Palestina, Egito e Chipre, onde aprendeu a falar árabe.

Kitchener alcançou a fama ao participar da reconquista do Sudão para a coroa britânica. Em 1898, foi encomendada a ele a criação de um governo colonial que mantivesse a paz no Sudão. O grande trabalho que realizou nesse período fez com que uma das pequenas ilhas do Nilo fosse denominada Ilha Kitchener em 1899.

Em seguida, participou da Segunda Guerra dos Bôeres, na África do Sul, onde cumpriu o cargo de comandante-chefe das tropas britânicas. O poder de Kitchener estava em ascensão e ele aspirava a ser vice-rei da Índia, a principal colônia britânica. Apesar de suas tentativas, não conseguiu atingir seu objetivo e teve que se contentar com o posto de governador geral do Egito e Sudão.

Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, o primeiro-ministro britânico nomeou Kitchener como novo Secretário de Estado de Guerra. Horatio previu que a guerra seria longa, teria um grande número de vítimas e precisaria de grandes exércitos para poder derrotar a Alemanha, postura que era contrária a de seus companheiros.

Antes disso, decidiu empreender uma enorme campanha de recrutamento de tropas, enchendo as cidades de cartazes nos quais o próprio Kitchener apontava para o possível recruta sob o lema “britons wants you” (os britãnicos querem você). Esse modelo de cartaz seria inspiração direta do famoso “I want you”, protagonizado por Tio Sam, nos EUA, a partir de 1917.

Em maio de 1916, foi organizada uma missão diplomática na Rússia, que acabou nas mãos de Kitchener. Essa missão seria a única que ele não chegaria a completar de modo satisfatório, já que a embarcação que se dirigia à Rússia colidiu com uma mina submarina, afundando seus 650 homens, incluindo Kitchener. No mesmo dia do naufrágio, a última divisão do exército de Kitchener tomou posições no norte da França, onde ajudariam a derrotar o Império Alemão, em 1918.

Após sua morte, foram feitas várias homenagens, entre elas a criação do Lord Kitchener National Memorial Fund, destinado a ajudar as vítimas da guerra. Essa fundação ainda existe e dá bolsas universitárias a soldados, ex-soldados e filhos de militares.

Existiram muitas versões e teorias conspiratórias em torno da morte de Kitchener. Algumas dizem que ele foi, na verdade, assassinado pelo próprio governo britânico, que o via como um militar antiquado que interferia no desenvolvimento da guerra moderna. No entanto, todas essas versões foram desmentidas e se mostraram inverossímeis.