MUHAMMAD ALI

Muhammad Ali

Cassius Marcellus Clay Jr., ou mais conhecido como Muhammad Ali, o filho mais velho de Cassius Marcellus Clay e Odessa Grady Clay, nasceu em 17 de janeiro de 1942, em Louisville, Kentucky, nos Estados Unidos. Ele é considerado um dos maiores boxeadores da história e também reconhecido por sua atuação em causas humanitárias. Ex-campeão peso-pesado de boxe, é uma das maiores figuras desportivas do século 20. Foi eleito "O Desportista do Século" pela revista americana Sports Illustrated em 1999. Foi o primeiro lutador a conquistar o título dos pesos-pesados três vezes. Venceu 56 vezes em seus 21 anos de carreira profissional.

 

Bicicleta roubada

Pode-se dizer que sua história com o boxe começou quando Cassius, então um garoto de 12 anos, teve a sua bicicleta roubada. Ele denunciou o furto a um policial e prometeu surrar o ladrão. O policial, Joe Martin (1916-1996), que treinava boxe, disse ao garoto que, primeiramente, o jovem deveria aprender a lutar, e levou Cassius aos treinos. Seis semanas depois, Clay vencia sua primeira luta em uma decisão dividida. Quando tinha em torno de 18 anos, Clay já havia vencido dois títulos Luvas de Ouro nacionais, dois títulos nacionais da União Atlética Amadora, com 100 vitórias contra oito derrotas. Após terminar o ensino médio, ganhou a medalha de ouro da categoria médio-pesado nos Jogos Olímpicos de 1960, em Roma, na Itália.

Clay venceu sua primeira luta como profissional no dia 29 de outubro de 1960, após seis rounds. Desde o início de sua carreira profissional, Clay batia seus adversários usando uma estratégia que combinava golpes poderosos, rápidos e velocidade nos pés. Seu estilo pessoal também chamava atenção por conta do jeito fanfarrão e de autopromoção.

 

Campeão mundial de boxe

É difícil ser modesto quando se é tão bom como eu.

Depois de vencer suas primeiras 19 lutas, incluindo 15 delas por nocaute, Clay conquistou seu primeiro título mundial em 25 de fevereiro de 1964 ao bater o atual campeão dos pesos-pesados Sonny Liston (1932-1970), em Miami. Antes da luta, ele prometeu "flutuar como uma borboleta, picar como uma abelha", prevendo o nocaute. Quando foi coroado com o título, Clay gritou: "Eu sou o maior!"

Pouco tempo depois, Clay confirmou os rumores de sua conversão ao Islã. Em 6 de março de 1964, ele mudou o seu nome para Muhammad Ali.

Ali solidificou sua posição entre os pesos-pesados nocauteando Liston na primeira rodada de sua revanche em 25 de maio de 1965 e ao defender o seu título em outras oito ocasiões.

 

Preso e banido do boxe

Com a Guerra do Vietnã em curso, Ali foi intimado a se apresentar às Forças Armadas dos EUA em 28 de abril de 1967. Citando suas crenças religiosas, ele se recusou. Ali foi preso, e a Comissão Atlética do Estado de Nova York suspendeu imediatamente a sua licença de boxe, revogando o seu cinturão dos pesos pesados.

Condenado por evasão de divisas, Ali recebeu uma pena de cinco anos de prisão e uma multa de US$ 10 mil. Ele permaneceu livre enquanto fazia apelação da sua condenação. Naquele momento, sua popularidade despencou. Banido do boxe por três anos, Ali se manifestou contra a Guerra do Vietnã em várias ocasiões e fazia palestras em universidade contra o conflito. No dia 3 de fevereiro de 1970, o lutador convocou uma coletiva de imprensa para anunciar que estava deixando o boxe. Como, mais tarde, a opinião pública também passou a condenar a guerra, o apoio a Ali cresceu. Em dezembro de 1970, a Suprema Corte do Estado de Nova York ordenou que ele recebesse novamente sua licença de boxe, e, no ano seguinte, a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou sua condenação em uma decisão unânime. Desta maneira, naturalmente, Clay mudou de ideia em relação à aposentadoria e voltou aos ringues

 

Retorno à glória

É a ausência de fé que faz as pessoas temerem os desafios. Eu tenho fé em mim mesmo.

Após 43 meses longe do boxe, Ali voltou ao ringue em 26 de outubro de 1970, e bateu Jerry Quarry (1945-1999) no terceiro round. Em 8 março de 1971, teve oportunidade de recuperar sua coroa de campeão dos pesos-pesados na luta contra o campeão Joe Frazier (1944-2011), no que foi chamada de "Luta do Século". O invicto Frazier derrotou Ali, que sofreu a sua primeira derrota como profissional.

A recuperação do título aconteceu somente no dia 30 de outubro de 1974, quando Ali, então com 32 anos, enfrentou o então campeão George Foreman, com 25 anos. A luta em Kinshasa, Zaire (atual Congo), foi apelidada de "Rumble in the Jungle". Ali venceu por nocaute no oitavo round e recuperou o título tirado dele sete anos antes.

 

Terceiro título mundial

Em 15 de fevereiro de 1978, Ali perdeu o título para Leon Spinks (1953) em uma decisão dividida. Sete meses depois, Ali derrotou Spinks em uma decisão unânime em uma luta de 15 rounds para recuperar a coroa dos pesos-pesados e se tornar o primeiro lutador a conquistar o título mundial de boxe três vezes. Depois de anunciar sua aposentadoria em 1979, Ali ensaiou um retorno aos ringues sem sucesso. Ele sofreu derrotas para Larry Holmes, em 1980, e perdeu por decisão unânime para Trevor Berbick, em 11 de dezembro de 1981. Após a luta e com 39 anos, Ali se aposentou definitivamente, com um recorde na carreira de 56 vitórias, cinco derrotas e 37 nocautes.

 

Mal de Parkinson

Vôo como uma borboleta,pico como uma abelha, você não pode bater no que não pode ver!

Em 1984, Ali foi diagnosticado com Mal de Parkinson, possivelmente ligado aos traumas cranianos sofridos durante sua carreira. Apesar da doença, Ali permanece no centro das atenções, viajando o mundo para fazer ações humanitárias. Ele se reuniu com Saddam Hussein em 1990 para negociar a libertação de reféns norte-americanos, e, em 2002, viajou ao Afeganistão como um Mensageiro da Paz das Nações Unidas.

Ali ainda acendeu a pira olímpica durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 1996 em Atlanta. Foi condecorado com a Medalha Presidencial da Liberdade em 2005 em uma cerimônia realizada na Casa Branca. No mesmo ano, abriu o Centro Muhammad Ali - que custou US$ 60 milhões - um museu sem fins lucrativos inaugurado em Louisville. Ali foi casado quatro vezes e teve sete filhas e dois filhos.