GUERRAS MUNIDAIS

Paul Emil Von Lettow

Paul Emil Von Lettow foi um militar alemão reconhecido ter defendido com sucesso a frente africana na Primeira Guerra Mundial. Ele nasceu em Saarlouis, no sudoeste da Prússia, na fronteira com a França, em 20 de março de 1870. Estudou arte militar na Academia de Oficiais de Potsdam, em Berlim, onde graduou-se com a patente de tenente em 1890. Com um enorme histórico em diversas frentes e países, ele foi escolhido, em 1914, para o comando das defesas da “África Oriental Alemã” (atual Tanzânia), um grupo escasso com pouco mais de 300 soldados alemães apoiados pelos “askaris”, guerreiros africanos que habitavam a colônia.

Essa região tinha uma importância estratégica para os vizinhos britânicos, belgas e portugueses, por causa de sua saída para o mar. Em 1914, com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, a colônia foi cercada por inimigos. Embora a intenção alemã na África fosse resistir defensivamente ao avanço dos aliados, a invasão da Bélgica pelos próprios alemães obrigou-os a assumir outras estratégias, haja vista que a guerra havia se transferido para a África. Von Lettow sabia que a falta de armamento adequado deveria ser compensada com um treinamento de excelência das tropas e uma postura de ataque, que o governador da colônia, Henrich Von Schnee, discordava. Isto permitiu que as tropas britânicas, que pretendiam se apoderar da cidade portenha de Tanga, avançassem por via marítima. As tentativas britânicas foram rechaçadas pela capacidade estratégica de Von lettow, que, não obstante finda a batalha, ainda prestou assitência médica aos soldados indígenas que acompanhavam os britânicos.

Após a vitória, Von Lettow se preparou para atacar as ferrovias construídas pelos ingleses em uma estratégia de “guerra de guerrilhas”, na qual ele aproveitava o conhecimento que seus soldados tinham do terreno. Posteriormente, ele conseguiu outra vitória sobre os britânicos na Batalha de Jassin, em 18 de janeiro de 1915. Entre 1916 e 1918, ele enfrentou várias vezes os britânicos, incluindo um velho amigo seu, Jan Smuts, que havia sido enviado pelos ingleses da África do Sul.

Em 13 de novembro de 1918, foi travada a última batalha na qual saíram vitoriosos os britânicos em Kasama, onde invadiram a Rodésia do Sul, um pouco antes dos alemães se renderem. Em 1919, Von Lettow retornou à Alemanha, onde o kaiser, antes de sua renúncia, promoveu van Lettow à patente de general com a mais alta condecoração até então: a medalha de mérito, ou “Max Azul”. Anos depois, ele se negou a participar da ascensão do partido nazista ao poder. Na Segunda Guerra Mundial, foi seu velho amigo-inimigo Jan Smuts e outros oficiais britânicos com quem ele havia lutado, que lhe prestaram ajuda após os bombardeios dos aliados e da morte de seus filhos. Em 1959, ele voltou à África para reencontrar com seus antigos e leais soldados “askaris” e com Jan Smuts, que chegou a ser presidente da África do Sul, e que lhe ajudaria com uma pensão até o dia de sua morte, em 9 de março de 1964, em Hamburgo.