René Descartes

René Descartes

René Descartes é considerado um dos pensadores mais importantes e influentes da história do pensamento ocidental e uma das figuras-chave na Revolução Científica. Muitos especialistas afirmam que, a partir de Descartes, deve início o racionalismo da Idade Moderna. A famosa frase “Penso, logo existo" ou ainda "Eu duvido, logo penso, logo existo" é uma conclusão do seu pensamento, alcançada após duvidar da sua própria existência, mas comprovada ao ver que pode pensar e, desta forma, como sujeito e ser pensante, existe indubitavelmente. A ele é atribuída a fundação da filosofia moderna e ele é também chamado "pai da matemática moderna". Descartes se notabilizou por seus conhecimentos matemáticos, por sugerir a fusão da álgebra com a geometria, fato que gerou a geometria analítica, e o sistema de coordenadas que hoje leva o seu nome.

Penso, logo existo.

René Descartes nasceu em La Haye en Touraine (atualmente chamada de Descartes), na França, em 31 de março de 1596, e morreu no dia 11 de fevereiro de 1650, em Estocolmo, na Suécia, aos 53 anos. Sua mãe, Jeanne Brochard, morreu quando ele tinha um ano. Seu pai era Joachim Descartes, advogado e juiz, proprietário de terras, com o título de escudeiro, primeiro grau de nobreza.

Com oito anos, Descartes ingressou no prestigiado colégio jesuíta Royal Henry-Le-Grand, em La Flèche, onde ficou por cerca de nove anos (1606-1615). Depois, formou-se em direito, em 1616, pela Universidade de Poitiers, mas nunca exerceu a profissão.

 

Muitas viagens

É melhor ter os olhos fechados, sem jamais tentar abri-los, do que viver sem filosofar.

Nos anos seguintes, viajou bastante. Em 1618 foi para a Holanda, onde se alistou no exército do príncipe Maurício de Nassau. No ano seguinte, quando estava na Alemanha, teve um sonho sobre um novo sistema matemático e científico. De acordo com a tradição, isso teria ocorrido no dia 10 de novembro. Ainda em 1619, viajou para a Dinamarca e a Polônia. Em 1622, retornou à França e, seis depois, em 1628, resolveu fixar residência nos Países Baixos, onde ficou até 1649.

Não basta termos um bom espírito. O mais importante é aplicá-lo bem.

Neste meio tempo, em 1637, publicou três pequenos tratados científicos: A Dióptrica, Os Meteoros e A Geometria. O prefácio dessas obras serviu para uma de suas obras mais conhecidas, Discurso Sobre o Método. Em 1641, surge sua obra filosófica e metafísica mais imponente: as "Meditações Sobre a Filosofia Primeira". Influente também no meio aristocrático, Descartes, em 1647, foi premiado pelo rei da França com uma pensão e começa a trabalhar na "Descrição do Corpo Humano".

 

Morte por pneumonia

Cada problema que resolvi tornou-se uma regra que, depois, serviu para resolver outros problemas.

Sua morte, aos 53 anos, no dia 11 de fevereiro de 1650, aconteceu por causa de uma pneumonia, em Estocolmo, depois de dez dias doente. Como era católico num país protestante, ele foi enterrado num cemitério de crianças não batizadas, na Adolf Fredrikskyrkan, em Estocolmo. Em 1667, seus restos mortais foram para a França e enterrados na Abadia de Sainte-Geneviève de Paris.  No mesmo ano, a Igreja Católica colocou os seus livros na lista proibida.Desde 1819, seu túmulo está na Igreja de Saint-Germain-des-Prés, em Paris.

 

Suas obras    

Regras para a direção do espírito (1628)

O Mundo ou Tratado da Luz (1632-1633)

Discurso sobre o método (1637)

Geometria (1637)

Meditações Metafísicas (1641)

As Paixões da Alma (1649)