GUERRAS MUNDIAIS

Robert Georges Nivelle

Robert Georges Nivelle foi um militar francês de grande reconhecimento. Generalíssimo e comandante-chefe do exército francês na Primeira Guerra Mundial, ele nasceu em Tulle, na França, em 15 de outubro de 1856. Estudou em Saint-Cry e foi graduado pela Escola Politécnica em 1878. Seu histórico de serviços inclui a Indochina, África setentrional, Argélia e China. Em 1914, foi promovido a general da brigada, ao lado de Henri Philippe Pétain.

Com a eclosão da Primeira Guerra, e por ser coronel de um regimento de artilharia, Nivelle participou da invasão à Alsácia e esteve nos esquadrões que lutaram nas batalhas de Marne e Aisne, em 1914.  Em 1916, combateu em Dovaumont e, em 19 de abril de 1916, sucedeu Pétain na missão de defender Verdun à frente do II exército francês, reconquistando, junto com o general Charles Mangin, os fortes de Douaumont e Vaux que haviam sido tomados pelos alemães. Desde o início, destacou-se por suas estratégias militares ousadas e impetuosas; inclusive, era dito que ele não se importava com as baixas humanas. Nesse mesmo ano, a comissão do exército no parlamento o nomeou comandante-chefe do exército francês em substituição ao general Joseph Joffre.

Em 1916, durante a lendária Batalha de Verdun, Nivelle optou por um ataque surpresa e em profundidade, tirando proveito de ataques massivos protegidos por uma barreira frontal de fogo e artilharia. O primeiro-ministro britânico Lloyd George, convencido da eficácia de Nivelle, decidiu colocar as tropas britânicas sob seu comando, mas a ofensiva não teve o resultado esperado. Alguns atribuem o fracasso à dificuldade que ele tinha em guardar segredos; inclusive, muitas pessoas dizem tê-lo escutado comentar o plano de ataque surpresa durante um jantar. Isso, somado ao fato de que dias antes os soldados alemães interceptaram informação confidencial, pressagiava o pior. Entretanto, o plano seguiu adiante, apesar das dúvidas.

Em 16 de abril de 1917, durante a Batalha de Chemin-des-Dames, o exército aliado fracassou contra um plano de defesa perfeitamente planejado, o que causou uma das derrotas mais importantes das tropas aliadas: 350 mil homens perderam a vida em troca de uns poucos territórios. Desses, 100 mil eram franceses. O tamanho do fracasso foi tão grande que acabou gerando os famosos motins de 1917. Um mês depois, Nivelle foi substituído pelo general Pétain e enviado à África com a ordem de comandar as tropas francesas posicionadas no norte. Ao final da Grande Guerra, retornou à França, em 1921. Em 23 de março de 1924, Robert Nivelle, já aposentado, faleceu na cidade de Paris.