WILL SMITH

Will Smith

Will Smith nasceu na Filadélfia, Pensilvânia, EUA, em 25 de setembro de 1968. Aos 16 anos, ele conheceu um DJ em uma festa. Os dois ficaram amigos e assim nasceu o duo de rap, DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince. Em 1990, Smith passou a atuar no seriado para TV “Um Maluco no Pedaço”. Em 1992, ele foi para a tela grande e tem estrelado filmes de sucesso desde então.


Início de carreira

O famoso ator e músico Will Smith nasceu Willard Christopher Smith Jr. em 25 de setembro de 1968, na Filadélfia, Pensilvânia, EUA, de mãe pedagoga e pai dono de uma empresa de refrigeração. Ele estudou em uma rígida escola católica, apesar da crença protestante da família. Sua vizinhança no oeste da Filadélfia era um caldeirão de culturas, onde judeus ortodoxos conviviam com muçulmanos. Smith era um bom estudante, cujo charme e pensamento rápido o livravam de problemas – características essas que o fizeram ganhar o apelido de “Prince”. Ele começou a fazer rap aos 12 anos, imitando heróis como Grandmaster Flash, mas tingindo suas rimas com um elemento humorístico que, posteriormente, viraria sua marca registrada. Aos 16 anos, Smith conheceu um DJ chamado Jeff Townes em uma festa. Os dois ficaram amigos e assim nasceu a dupla DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince.


O sucesso

DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince começaram a produzir músicas, porém distantes da sonoridade Gangsta Rap que estava surgindo na Costa Oeste, com grupos como Public Enemy e N.W.A. Smith criava raps sobre preocupações adolescentes em um estilo sem xingamentos que acabou conquistando a classe média americana. O primeiro single da dupla, “Girls Ain’t Nothing But Trouble”, foi um hit em 1986. O álbum de estreia, “Rock the House” (1987), chegou às paradas da Billboard e fez de Smith um milionário antes de chegar aos 18 anos. Os sucessos iniciais tiraram de seu pensamento qualquer ideia de entrar para a faculdade. Em 1988, DJ Jazzy & The Fresh Prince continuaram a fazer sucesso com o disco “He’s the DJ, I’m the Rapper”, que incluía singles de sucessos radiofônicos como “Parents Just Don’t Understand”, “Brand New Funk” e “Nightmare on My Street”. O LP venceu o primeiro Grammy no gênero Rap e foi seguido por “And in This Corner...”, que os manteve no caminho da fama.


Atuação

Dois anos depois, Smith começou sua notável passagem para a atuação. Ele assinou um contrato com a NBC para estrelar um seriado sobre um adolescente com a malandragem das ruas de Filadélfia. Na série, seu personagem é enviado à Califórnia para viver com parentes ricos em Bel-Air. Brincando com sua persona de rapper e contando com participações do seu amigo DJ Jazzy, “Um Maluco no Pedaço” foi um sucesso imenso que durou seis temporadas. Enquanto isso, Smith e Townes continuaram a fazer música. O álbum “Homebase”, de 1991, gerou os hits “Summertime” e “Ring My Bell”. O último disco da dupla, “Code Red” (1993), ficou famoso por “Boom! Shake the Room”.


Cinema

Ainda em “Um Maluco no Pedaço”, Smith começou a fazer sua segunda passagem, para os cinemas. Pontas em “A Lei de Cada Dia” (1992) e na comédia “Feita por Encomenda” (1993) foram seguidos por um papel principal e aclamado pela crítica no drama “Seis Graus de Separação” (1993).  Mas seus primeiros passos no superestrelato vieram com o “Bad Boys” (1995), no qual ele e Martin Lawrence faziam uma dupla de policiais negros, rompendo com a fórmula de policial negro e policial branco de “Um Tira da Pesada” e “Máquina Mortífera”.

Em “Independece Day” (1996), uma ficção científica de catástrofe, Smith se confirmou como uma das principais estrelas de Hollywood e um chamariz para os grandes lançamentos de verão. Nele, o ator interpreta um piloto das forças aéreas americanas que tem que enfrentar uma ameaça alienígena. E ele lutou contra extraterrestres novamente na ficção científica de comédia “MIB – Homens de Preto” (1997). Contracenando com Tommy Lee Jones, Smith cantou a música tema, inclusa no seu disco solo “Big Willie Style” (1997), que proporcionou outro sucesso para o ator multitalentoso. Outro blockbuster do produtor Jerry Bruckheimer se seguiu com o filme de ação e espionagem “Inimigo do Estado” (1998). 

A sequência de sucessos chegou ao fim em 1999 com “As Loucas Aventuras de James West”, um faroeste de ficção científica com Kevin Kline. Apesar de sua performance aquém do esperado nas bilheterias, a música que Smith gravou para o filme se tornou um hit e fez parte do seu disco “Millennium” (1999). O filme sobre golfe “Lendas da Vida” foi seu próximo grande projeto, no qual ele contracenou com Matt Damon. Em 2001, a cinebiografia “Ali”, baseada na lenda do boxe Muhammad Ali, trouxe novamente reconhecimento da crítica para Smith. O papel foi a performance da sua vida, para a qual ele teve que treinar pesado e com muita disciplina para fazer jus ao perfil atlético e ao ego da lenda do boxe. Apesar de o filme não ter ido muito bem nas bilheterias, Smith acabou sendo indicado ao Oscar de Melhor Ator.

Sequências de “MIB” e “Bad Boys” se seguiram e, embora longe de serem fracassos, não chegaram perto do sucesso dos filmes anteriores. Smith continuou na linha de ficções científicas de ação com “Eu, Robô” (2004), uma adaptação de uma história de Isaac Asimov, que teve ótimo desempenho nas bilheterias, arrecadando mais de 144 milhões de dólares nos EUA. Seu lado charmoso e de fala suave foi aproveitado na comédia romântica “Hitch – Conselheiro Amoroso”, no qual, novamente, ele interpretou a música tema e a incluiu no seu álbum “Lost and Found” (2005). “Hitch” foi um sucesso estrondoso e foi seguido pelo drama “À Procura da Felicidade”, em que Smith contracenou ao lado de seu filho na vida real Jaden. Por sua atuação nesse filme, ele recebeu sua segunda indicação ao Oscar de Melhor Ator. Em 2007, Smith estrelou o pós-apocalíptico “Eu Sou a Lenda”, uma nova versão para o livro homônimo de Richard Matheson.  O filme foi um sucesso no mundo todo.

Seus próximos projetos foram “Hancock” e “Sete Vidas”, ambos de 2008. E depois de um hiato de quatro anos, ele retornou às telas com “MIB³ - Homens de Preto 3”, seguido por “Depois da Terra”, a ficção científica de M. Night Shyamalan mal recebida pela crítica e coestrelada por seu filho Jaden. Após pequenas aparições em “Tudo por um Furo” (2013) e “Um Conto do Destino” (2014), Smith retornou ao protagonismo com “Golpe Duplo” (2015). Ele estrela também “Concussion”, com previsão de estreia para dezembro, e está filmando “Esquadrão Suicida”, baseado nos quadrinhos da DC Comics. 


Vida pessoal

Will Smith já se casou duas vezes. Seu primeiro matrimônio, com Sheree Zampino, em 1992, durou três anos e gerou um filho, Willard Smith, também conhecido como Trey. Ele está casado com a atriz Jada Pinkett desde 1997. O filho do casal, Jaden, nasceu em 1998, e a filha, Willow, em 2000. Smith tem inclinações políticas liberais e fez doações para as campanhas presidenciais de Barack Obama. Seu patrimônio líquido é estimado em 250 milhões de dólares. Ele é fã de xadrez e games e tira férias com sua mãe todos os anos, geralmente no spa Canyon Ranch, em Tucson, no Arizona.

 


Imagem: Andrey Bayda / Shutterstock.com