comédias

Zacarias

Mauro Faccio Gonçalves, mais conhecido como Zacarias, foi um comediante e integrante do quarteto “Os Trapalhões”. Nascido no dia 18 de janeiro de 1934, em Sete Lagoas (MG), ele permaneceu no grupo até o dia de sua morte, em 18 de março de 1990, no Rio de Janeiro. Zacarias morreu aos 56 anos, vítima de insuficiência respiratória em consequência de uma infecção pulmonar, de acordo com o boletim médico.

Só brinco em serviço.

A carreira de comediante de Mauro começou a despontar em Belo Horizonte. Durante a década de 60, trabalhou na Rádio Inconfidência, em três programas de humor. Seu trabalho foi reconhecido como o de melhor comediante de rádio entre os anos de 1960 e 1963.

 

Entrada em Os Trapalhões

Um bom ator é aquele que sabe criar tipos, ser farsante, não ser ele mesmo. Faço isso. Sou o Zacarias, me escondo nele para sobreviver.

Em 1963, recebeu um convite para trabalhar na TV Excelsior do Rio de Janeiro. Ali, estreou em um programa de calouros, onde criou o personagem Garçom Moranguinho, que fez bastante sucesso. Depois, foi para a Rede Record, onde participou da “A Praça da Alegria” e “Os Insociáveis”. Mais tarde, foi convidado por Renato Aragão para entrar no grupo "Os Trapalhões". Em 1976, Mauro foi o último a fazer parte do quarteto, que já tinha Didi, Dedé e Mussum.

As barreiras existem, mas a humildade vence tudo.

O inconfundível personagem de Zacarias era marcado por seu jeito infantil e por sua risada característica. Ele tinha os dentes saltados e também usava uma peruca, que era um “alvo” constante: havia sempre alguém tentando roubá-la, o que provocava o choro de Zacarias. Mauro dizia que o apelido que batizou o seu personagem era na verdade era o nome de um galo que ele tinha na infância, e que desde criança era chamado assim. Seu último filme com a trupe de Os Trapalhões foi “Uma Escola Atrapalhada”.