Hoje na história

16.out.1929

Dama da televisão brasileira, nasce a atriz brasileira Fernanda Montenegro

Considerada a grande dama da televisão brasileira, nascia no dia 16 de outubro de 1929, Arlette Pinheiro Esteves da Silva, conhecida pelo público como Fernanda Montenegro. Natural do Rio de Janeiro, ela decidiu mudar o seu nome para Fernanda por achar a sonoridade da palavra mais bonita. O sobrenome Montenegro foi em homenagem a um médico homeopata que não chegou a conhecer, mas que era amigo da família e tido como operador de "milagres". Fernanda iniciou a carreira artística com a peça “Alegres Canções nas Montanhas", em 1950. No começo da década de 60 e já casada com o ator Fernando Torres, ela se mudou para São Paulo, onde trabalhou em várias peças de teatro e também começou a carreira na televisão. Sua primeira novela foi "Pouco Amor Não é Amor". Em 1964, começou a trabalhar no cinema, com o filme "A Falecida", inspirada na obra de Nelson Rodrigues. Com o tempo, Fernanda Montenegro participou de inúmera novelas e também recebeu muitos prêmios pelo seu talento. No cinema, o primeiro grande sucesso foi "Eles Não Usam Black-Tie", de 1981. Em 1985, foi convidada pelo então Presidente da República, José Sarney, para ser ministra da cultura. Obteve o apoio de toda a classe artística e da opinião pública, mas recusou por saber não ser essa a sua real vocação. Em 1997, estrelou o filme "O Que é Isso, Companheiro?", indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e, no ano seguinte, em 1998, teve grande atuação em Central do Brasil, quando foi indicada ao prêmio de melhor atriz. O Oscar não foi para Fernanda, mas ela ganhou o Urso de Prata, no Festival de Cinema de Berlim. Em 1999, teve outro grande momento na televisão com o "O Auto da Compadecida". Fernanda Montenegro é mãe de dois filhos, a também atriz Fernanda Torres e o cenógrafo, programador visual e agora diretor de cinema Cláudio Torres.

 


Imagem: André Luiz D. Takahashi / ASCOM Prefeitura de Votuporanga [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons