Hoje na história

07.Maio.1965

Keith Richards compõe “Satisfaction” dos Rolling Stones

Nas primeiras horas da madrugada de 7 de maio de 1965, em um quarto de hotel em Clearwater, na Flórida, um Keith Richards sonolento se levantou, pegou um gravador e eternizou uma das melodias mais famosas de todos os tempos: o riff de abertura de “(I Can’t Get No) Satisfaction”, dos Rolling Stones. Ele, então, voltou prontamente a dormir.

“Quando eu acordei, de manhã, a fita tinha acabado”, Keith lembra muitos anos depois. “Eu a coloquei novamente e aí estavam esses, talvez, 30 segundos de ‘Satisfaction’ em uma versão bem sonolenta. E, então, de repente a guitarra faz ‘CLANG’ e depois há tipo 45 minutos de ronco”. Não era muita coisa para trabalhar em cima, mas ele a tocou para Mick Jagger ainda naquele mesmo dia. “Ele só tinha uma pequena parte e depois já tinha o riff”, lembra Mick. “Soava como algo country em um violão – não parecia rock. Mas ele não gostava muito daquilo, achava que era uma brincadeira... Ele não achou que aquilo era um material para single, e todos nós dissemos ‘Você está louco’. O que, de fato, ele estava”.

Com a letra escrita por Jagger – Keith já tinha criado o verso “I can’t get no satisfaction” –, os Stones levaram a música ao estúdio Chess em Chicago apenas três dias depois, em 10 de maio de 1965, e a terminaram em 12 de maio após um voo para Los Angeles e uma sessão de 18 horas de gravação na RCA.  Foi lá que Keith plugou uma versão antiga de um pedal de fuzz da Gibson à sua guitarra e deu ao riff, que, inicialmente ele imaginara tocado por metais, sua sonoridade única e emblemática.

Embora, na época, os Stones estivessem na metade de sua terceira turnê norte-americana, seus únicos verdadeiros hits nos EUA eram “Time Is on My Side” e o lançamento mais recente “The Last Time”. “Satisfaction” foi a música que iria levá-los ao superestrelato. Quarenta anos depois, quando a revista Rolling Stone colocou “Satisfaction” no segundo lugar da sua lista de 500 maiores músicas de todos os tempos, lançou a seguinte perspectiva histórica sobre o riff criado por Keith Richards em 7 de maio de 1965: “Aquela faísca no meio da noite... foi a encruzilhada: o momento em que o trôpego e sonhador rock and roll se tornou o rock que conhecemos”.

Imagem: JStone/Shutterstock.com