Hoje na história

11.jun.1963

Monge budista ateia fogo ao próprio corpo no Vietnã do Sul

No dia 11 de junho de 1963, o monge Thích Quảng Ðức morreu após atear fogo ao próprio corpo, em Saigon, no Vietnã do Sul. O religioso tomou essa atitude em protesto contra a perseguição aos budistas pelo governo sul-vietnamita liderado por Ngô nình Diệm. Fotografias de sua autoimolação circularam amplamente pelo mundo e chamaram a atenção para as políticas do governo de Diệm.

Durante o sacrifício, outro monge repetia em um microfone, em inglês e vietnamita: "Um monge budista queima-se até a morte. Um sacerdote budista se torna um mártir". Depois de aproximadamente dez minutos, quando o fogo diminuiu, um grupo de monges cobriu o corpo com vestes amarelas.

O ato de Quảng Ðức aumentou a pressão internacional sobre Diệm, levando-o a anunciar reformas com a intenção de pacificar os budistas. No entanto, as reformas prometidas não foram implementadas, levando a situação a se deteriorar. Com os protestos continuando, forças especiais executaram ataques contra templos budistas em todo o país. Vários monges seguiram o exemplo de Quảng Đức, também se imolando. Eventualmente, um golpe do exército apoiado pelos EUA derrubou Diệm, que foi assassinado em 2 de novembro de 1963.

O sacrifício do monge foi fotografado por Malcolm Browne e a imagem viria a ser premiada com os prêmios Pulitzer e Foto do Ano da World Press Photo. O repórter David Halberstam também recebeu um Pulitzer por sua reportagem sobre o fato.


Imagem: Malcolm Browne/Domínio Público, via Wikimedia Commons