Hoje na história

23.nov.1990

Morre Caio Prado Júnior, um dos maiores intelectuais do Brasil

Um dos grandes historiadores do Brasil, Caio da Silva Prado Júnior morreu no dia 23 de novembro de 1990, em São Paulo. Nascido na capital paulista, em 11 de fevereiro de 1907, ele foi um dos maiores intelectuais brasileiros e desenvolveu obras imprescindíveis ao entendimento da formação histórica do Brasil. Estudou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (1924-1928) e, ao longo da sua formação universitária assim como na prática advocatícia, vivenciou a efervescência política, social e cultural no Brasil nos anos 20 e 30. Como político, filiou-se ao Partido Democrático, em 1928, participou da Revolução de 1930, filiando-se depois ao Partido Comunista Brasileiro. Em 1933, viajou como estudante para a União Soviética, experiência que lhe rendeu o livro URSS, um novo mundo, em 1934. No ano seguinte ao livro, foi vice-presidente da Aliança Nacional Libertadora, cargo que o levou à prisão durante dois anos. Entre 37 e 39, se exilou na Europa e, já de volta ao Brasil, publicou o clássico Formação do Brasil Contemporâneo. Além de pesquisador e político, Caio Prado Júnior também foi empresário do ramo editorial, fundando a Editora Brasiliense, em 1943, com o amigo Monteiro Lobato. Após o fim do governo de Getúlio Vargas, foi eleito deputado estadual pelo PCB (1947), mas teve o mandato cassado por sua ideologia marxista. Na sequência, dedicou-se à editora e, mais tarde, voltou a se exilar, desta vez no Chile, por conta da perseguição que sofreu durante o Regime Militar (1964). Quando retornou ao Brasil, em 1971, foi condenado a um ano de prisão por subversão. No ano seguinte, conseguiu a liberdade. Outras obras importantes de Caio Prado Júnior foram A evolução política do Brasil (1933), História econômica do Brasil (1945), Estruturalismo e marxismo (1971) e História e desenvolvimento (1972).

 


Imagem: via Wikimedia Commons