Hoje na história

09.out.1967

Morre Che Guevara

Em 1967, morria o revolucionário Ernesto Rafael Guevara de la Serna, conhecido como "Che" Guevara, em La Higuera, na Bolívia, em 9 de outubro de 1967. Nascido em Rosário, na Argentina, Che foi um dos idealizadores e comandantes da Revolução Cubana (1953-1959), que transformou o regime político do país da América Central. No governo cubano, ocupou cargos de prestígio como presidente do Banco Nacional e Ministro da Indústria, além de realizar missões internacionais. Che tentou levar a luta armada a outros países da América Latina. Em 1967, na Bolívia, foi capturado e morto. Seu famoso retrato, uma das imagens mais reproduzidas do mundo, é de autoria do fotógrafo Alberto Korda. A figura de Che desperta opiniões opostas. Para alguns, foi um revolucionário, incorruptível e que lutava contra as injustiças sociais. Para outros, trata-se de um criminoso e assassino. Sua data de nascimento é contestada. Algumas biografias atestam que ele nasceu no dia 14 de junho de 1928, mas outras fontes indicam que a data correta seria 14 de maio de 1928, um mês antes.

MAIS SOBRE CHE GUEVARA 

 

Fidel Castro

O nosso sacrifício é consciente. É a quota a pagar pela liberdade que construímos.

Em 1954, conheceu o revolucionário cubano Fidel Castro e seu irmão Raul, no México. Guevara, então, entrou para o grupo de Fidel, que derrubou o governo de Batista em Cuba. Ele atuou como conselheiro militar de Fidel e liderou tropas guerrilheiras contra o exército de Batista. Quando Fidel tomou o poder, em 1959, Guevara ficou encarregado da prisão de La Cabaña. Estima-se que de 156 a 550 pessoas tenham sido executadas por ordens extrajudiciais suas nesse período. Ele também foi presidente do Banco Nacional de Cuba e ajudou a mudar as relações comerciais do país com os EUA e a URSS. Três anos depois, foi indicado como ministro da indústria. 

Guevara deixou o seu cargo em 1965 para levar os ideais da revolução cubana a outras partes do mundo. Em 1966, ele começou a incitar a população da Bolívia a se rebelar contra o seu governo, mas não teve muito sucesso. Com apenas um pequeno número de guerrilheiros para apoiá-lo, Che Guevara foi capturado e morto em La Higuera, pelo exército boliviano, em 9 de outubro de 1967.


Figura lendária

O verdadeiro revolucionário é movido por sentimentos de amor.

Desde sua morte, Guevara tem sido uma figura política lendária. Seu nome é geralmente sinônimo de rebelião, revolução e socialismo. Outros, no entanto, ainda lembram que ele podia ser implacável, ordenando a execução de prisioneiros sem julgamento, em Cuba. Sua vida continua a ser tema de grande interesse público e foi explorada em vários filmes e livros, como “Diários de Motocicleta” (2004), do brasileiro Walter Salles, com Gael García Bernal como protagonista, e “Che” (2008), dividido em duas partes, do americano Steven Soderbergh e estrelando Benicio del Toro.


Imagem: [Domínio público], via Wikimedia Commons