Hoje na história

17.Maio.2008

Morre a escritora Zélia Gattai Amado

No dia 17 de maio de 2008 morria, em Salvador, Zélia Gattai Amado, escritora e fotógrafa e esposa durante 56 anos do também escritor Jorge Amado. Nascida em São Paulo, no dia 2 de julho de 1916, Zélia é filha de imigrantes italianos e, desde pequena, participava com a família do movimento político-operário anarquista. Com 20 anos, se casou com Aldo Veiga, relacionamento que durou oito anos e do qual nasceu Luís Carlos. Em 1945, Zélia conheceu Jorge Amado quando ambos trabalhavam em um movimento pela anistia dos presos políticos. Ele se casaram pouco meses depois e Zélia sempre trabalhou com o marido, ajudando-o na revisão e também passando a limpo seus manuscritos. Em 1946, Jorge Amado foi eleito deputado e o casal se mudou para o Rio de Janeiro, onde nasceu João Jorge, em 1947. No ano seguinte, o Partido Comunista foi proibido no Brasil, e a família teve que deixar o Brasil. Eles viveram três anos em Paris, depois foram para a Checoslováquia, onde nasceu Paloma. Neste país, Zélia também começou a se interessar pela fotográfica. Suas fotos desta época registram momentos históricos da carreira do seu marido. Em 1963, a família retornou ao Brasil e foi morar em Salvador. Aos 63 anos, Zélia começou a escrever suas memórias. Seu primeiro livro, “Anarquistas, graças a Deus” (1979) foi sucesso de vendas. Em 2001, ano da morte de Jorge Amado, Zélia foi eleita para a Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a cadeira que pertencia ao seu marido. Ela morreu em 2008 após complicações por conta da retirada de um tumor no intestino.

 


Imagem: G. Heise Förster [CC BY-NC 2.0], via Flickr