Hoje na história

26.nov.1993

Morre Grande Otelo, ator, cantor e compositor brasileiro

Ator, cantor e compositor brasileiro, Grande Otelo morreu no dia 26 de novembro de 1993, vítima de um ataque do coração fulminante, quando viajava para Paris para uma homenagem que receberia no Festival de Nantes. Nascido no dia 18 de outubro de 1915, Grande Otelo é natural de Uberlândia (MG) e seu verdadeiro nome era Sebastião Bernardes de Souza Prata. O apelido Grande Otelo veio em 1932, quando entrou para a Companhia Jardel Jércolis, pioneira no teatro de revista. Durante a carreira, fez inúmeros filmes, entre eles as famosas comédias ao lado do cômico Oscarito, nas décadas de 1940 e 1950. Um dos seus trabalhos mais conhecidos é a versão cinematográfica do livro Macunaíma (1969), baseado na obra de Mário de Andrade. A cena do nascimento de Macunaíma, interpretado por Grande Otelo, é inesquecível. Apesar do sua característica cômica como ator, a vida real de Grande Otelo foi cheia de tragédias. Seu pai morreu esfaqueado e sua mãe era alcoólatra. Quando já tinha conquistado o sucesso, sua esposa se matou, após envenenar o filho de seis anos, que era enteado do ator. Na infância, Grande Otelo foi parar no juizado de menores, onde foi adotado pela família do político Antônio de Queiroz. No cinema, teve como pontos altos da carreira a participação no filme “It s All True” (1942), de Orson Welles. Filmou também “Fitzcarraldo” (1982) com o diretor Werner Herzog, na floresta amazônica. A partir dos anos 60, trabalhou na TV Globo, onde atuou em novelas e também na Escolinha do Professor Raimundo, no início dos anos 90. Seu último trabalho foi uma participação na telenovela Renascer, pouco antes da sua morte.

 


Imagem:  [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons