Hoje na história

25.nov.2016

Morre o cubano Fidel Castro, o último líder histórico do comunismo

Na noite de 25 de novembro de 2016 o mundo deu adeus ao político e revolucionário cubano Fidel Castro. Ele morreu em Havana, a capital de Cuba, aos 90 anos. Fidel estava afastado da presidência de Cuba desde 31 de julho de 2007, quando, surpreendentemente, anunciou que estava passando o poder ao irmão Raúl, em caráter provisório, por conta de problemas de saúde. A renúncia oficial aconteceu no dia 2 de fevereiro do ano seguinte, assinalando o fim de um período de 49 anos no cargo e também o adeus do último líder histórico do comunismo.

Apesar das polêmicas, não há como negar que Fidel Castro escreveu o seu nome na história de maneira definitiva. Na década de 50, ao lado do guerrilheiro Che Guevara, participou da luta armada que derrubou o ditador Fulgêncio Batista (apoiado pelo governo dos EUA) e instaurou o governo comunista em Cuba, que contava com o apoio da então União Soviética (URSS). Por conta da Guerra Fria - a tensão existente entre EUA e URSS depois da Segunda Guerra Mundial - os cubanos foram alvo de um forte bloqueio econômico dos norte-americanos a partir da década de 70, que provocou graves consequências à economia da Ilha da América Central.

Apesar disso, Fidel seguiu com o seu governo e implementou políticas educacionais e de saúde no país que atingiram excelentes resultados. Por outro lado, seu regime foi acusado de coibir a liberdade de expressão, as liberdades individuais e políticas - desde que Fidel está no poder em Cuba, nunca foram realizadas eleições presidenciais diretas.

Veja abaixo alguma frases de Fidel Castro, que também ficou conhecido por seus longos discursos. 

"Condena-me, não importa, a história me absolverá."

"Ideias não precisam de armas se elas podem convencer as grandes massas."

"A mulher que quero tem de ser coração, fogo e espora, com a pele tostada como uma flor na Venezuela."

"Cheguei à conclusão, talvez um pouquinho tarde, de que os discursos devem ser curtos."

 


Imagem: via Wikimedia Commons.