Hoje na história

14.jul.1933

Política do Gleichschaltung declara o Partido Nazista como o único permitido na Alemanha

Em 14 de julho de 1933, a Alemanha aprovou a "Lei contra a Fundação de Novos Partidos" que declarava o Partido Nazista como o único permitido no país. A medida fez parte de uma política conhecida como Gleichschaltung ("alinhamento", "coordenação", "sincronização" ou "uniformização" em português). Esse procedimento foi fundamental para a implementação do plano totalitário de nazificação do país. 

Os nazistas puderam colocar o Gleichschaltung em vigor devido às medidas legais tomadas pelo governo quando Adolf Hitler tornou-se chanceler da Alemanha.  A "Primeira Lei de Gleichschaltung" (31 de março de 1933), dissolveu o parlamento alemão. A "Segunda Lei de Gleichschaltung" (7 de abril de 1933) implantou um Reichsstatthalter (Governador do Reich) em cada estado, exceto na Prússia. 

Outra medida da Gleichschaltung nazista foi a aprovação da "Lei para a Restauração de Serviço Público Profissional", decretada em 7 de abril de 1933, que permitiu a "coordenação" do serviço público (burocratas,também  professores, juízes, promotores e outros profissionais) tanto no nível federal quanto estadual. Além disso, a medida autorizava remoção de judeus e comunistas de todos os cargos.

Um dos passos mais importantes para o Gleichschaltung da sociedade alemã foi a introdução do "Ministério do Esclarecimento e Propaganda Pública" sob o comando de Joseph Goebbels, em março de 1933. As medidas tomadas pelo órgão tinham o objetivo de assumir o controle total da imprensa e de todos os meios de comunicação. Isso incluía a supervisão de jornais, revistas, filmes, livros, reuniões e cerimônias públicas, relações com a imprensa estrangeira, teatro, arte e música, rádio e televisão. O ápice da da nazificação da Alemanha aconteceu em 1935, quando os símbolos do Partido Nazista e do Estado foram fundidos e os judeus alemães foram privados de sua cidadania.


Imagem:  Everett Historical/Shutterstock.com