Hoje na história

12.Abr.1955

Vacina contra poliomielite é declarada segura e eficaz

No dia 12 de abril de 1955, pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, declararam que uma vacina contra a poliomielite que estava sendo testada há três anos era segura, eficaz e potente. As epidemias da doença causaram deficiências físicas em inúmeras de pessoas, principalmente crianças, por isso ela também é conhecida como paralisia infantil. Após a adoção de vacinas contra a pólio (que é transmitida por um vírus), os casos diminuíram em mais de 99% nos últimos anos.

Jonathan Salk, médico e pesquisador que criou a vacina, começou a testá-la em humanos em 1952. Além de administrá-la a crianças em duas instituições da região de Pittsburgh, nos Estados Unidos, Salk injetou a si mesmo, sua esposa e seus três filhos em sua cozinha depois de ferver as agulhas e seringas em seu fogão. Salk anunciou o sucesso dos testes em 26 de março de 1953.

Em 26 de abril de 1954, Randy Kerr, de seis anos, recebeu uma injeção com a vacina Salk em uma escola na Virgínia. No final de junho, 1,8 milhão de pessoas, incluindo crianças em idade escolar, se tornaram pioneiras da campanha de vacinação contra a pólio. Pouco tempo depois, ocorreu uma tragédia no oeste e no meio-oeste dos Estados Unidos, quando mais de 200 mil pessoas foram inoculadas com uma vacina defeituosa fabricada em um laboratório na Califórnia. Milhares de casos de poliomielite foram relatados, 200 crianças ficaram paralisadas e 10 morreram.

O incidente atrasou a produção da vacina, mas os novos casos de poliomielite caíram para menos de 6 mil em 1957, o primeiro ano após a ampla disponibilidade da vacina (em 1952, houve 58 mil casos nos EUA). Em 1962, foi autorizado o uso de uma vacina oral desenvolvida pelo pesquisador Albert Sabin. Pela facilidade em sua administração e por ser mais barata de produzir, a vacina em gota de Sabin acabou substituindo a de Salk em todo o mundo. Os casos mundiais de poliomielite caíram de 350 mil infectados em 1988 para 29 casos notificados em 2018.


Imagem: Yousuf Karsh/Domínio Público, via Wikimedia Commons