Amazônia

Fatos e história

AMAZÔNIA

NASA divulga imagens impressionantes dos incêndios na Amazônia

A NASA divulgou imagens do fogo que atinge a região amazônica. O satélite Aqua registrou focos de incêndio nos estados de Rondônia, Amazonas, Pará e Mato Grosso nos dias 11, 13 e 20 de agosto. No início da semana, a fumaça resultante contribuiu para escurecer o céu de São Paulo em plena tarde.

Os incêndios são raros na maior parte do ano na região amazônica porque o clima úmido impede que eles se espalhem. No entanto, entre julho e agosto, a atividade normalmente aumenta devido à chegada da estação seca. Os incêndios são provocados tanto pelo tempo seco quanto pela ação de moradores, fazendeiros e grileiros ao queimar lixo ou abrindo terreno cultivável em áreas de mata. 

Ao divulgar as imagens, a NASA inicialmente afirmou que a análise dos dados de seu satélite indicou que o total de incêndios na bacia amazônica neste ano está próxima da média em comparação aos últimos 15 anos. Embora a atividade pareça estar acima da média no Amazonas e Rondônia, até agora ela teria ficado abaixo da média no Mato Grosso e Pará, segundo estimativas do Global Fire Emissions Database, projeto que compila informações da agência espacial dos Estados Unidos. Já em uma segunda nota atualizada, os pesquisadores da NASA disseram que "o tempo irá dizer se há um recorde (de incêndios) ou se tudo está dentro dos limites normais".

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Brasil atravessa a maior onda de queimadas dos últimos cinco anos. O órgão registrou 71.497 focos de incêndio entre 1º de janeiro e 18 de agosto de 2019. Houve um aumento de 82% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram observados 39.194 focos de incêndio.


Fonte: NASA

Imagens: NASA/Divulgação