lua

Agência Espacial Europeia lança projeto para produzir oxigênio a partir do solo da Lua

A década de 2020 deve marcar a volta das missões espaciais para a Lua. Recentemente, a NASA anunciou que irá enviar uma mulher para o satélite natural da Terra até 2024. Agora, pensando em futuras colônias por lá, a Agência Espacial Europeia (ESA) lançou um projeto que tem o objetivo de fabricar oxigênio usando poeira lunar. 

A ESA montou o protótipo da fábrica de oxigênio em um laboratório na cidade de Noordwijk, na Holanda. O solo lunar, também conhecido como regolito, é rico em oxigênio. Mas esse oxigênio se liga quimicamente com óxidos, formando minerais ou vidro, portanto é difícil extraí-lo.

A extração de oxigênio ocorre usando um método chamado eletrólise de sal fundido, que envolve a colocação de regolito em uma cesta de metal com sal de cloreto de cálcio fundido para servir como eletrólito, aquecido a 950° C. "Conseguir extrair oxigênio a partir dos recursos encontrados na Lua seria extremamente útil para futuros colonizadores lunares, tanto para ser usado para respirar quanto para a produção de combustível de foguete", disse a doutora Beth Lomax, da Universidade de Glasgow, que trabalha no projeto.

O próximo passo é criar uma “fábrica piloto” que possa operar de forma sustentável na Lua, com a primeira demonstração da tecnologia acontecendo em meados da década de 2020. "A ESA e a NASA estão voltando para a Lua com missões tripuladas, desta vez com o objetivo de permanecer", disse Tommaso Ghidini, chefe da Divisão de Estruturas, Mecanismos e Materiais da ESA. "Portanto, estamos mudando nossa estratégia de engenharia para fazer um uso sistemático de recursos lunares a partir da própria Lua", completou.


Fontes: IFLScience e ESA

Imagem: ESA/Divulgação