ESPAÇO

Agência Espacial Europeia registra impactos de mais de cem asteroides contra a Lua

A Agência Espacial Europeia (ESA) conseguiu detectar em três anos pouco mais de uma centena de flashes de luz na superfície da Lua. De acordo com os astrônomos, esses clarões são produzidos sempre que há um impacto de um asteroide em solo lunar. As observações fazem parte do projeto NELIOTA (Near-Earth Object Lunar Impacts and Optical Transients, ou "impactos de objetos lunares próximos da Terra e transientes ópticos", em tradução literal).

Desde o começo do projeto, em março de 2017, foram realizadas aproximadamente 149 horas de observação, que resultaram na detecção de 102 choques de meteoritos contra o satélite natural da Terra. Esse monitoramento acontece a partir do Observatório Kryoneri, localizado na Grécia. Para isso, são utilizados telescópios de 1,2 metro e um sistema de câmera dupla que consegue dividir a luz dos flashes lunares em duas cores, e assim verificar com precisão características importantes.  

O projeto ajuda a compreender melhor os riscos que choques similares de asteroides podem oferecer à Terra. Nosso planeta é constantemente bombardeado por detritos espaciais. A maioria queima em nossa atmosfera, mas alguns desses objetos são potencialmente perigosos.

Quando pequenos asteroides atingem a superfície lunar em alta velocidade, eles geram flashes de luz que, se forem suficientemente brilhantes, são visíveis da Terra. A partir desse brilho, os cientistas podem estimar o tamanho e a massa do objeto que provocou o impacto. Normalmente, esses flashes lunares são causados por asteroides que pesam menos de 100 g e medem menos de 5 cm. 


Fonte: ESA

Imagens: Shutterstock.com e ESA