METEORITOS

Alemão encontra rocha rara do início do sistema solar em seu jardim

Em setembro de 2019, centenas de moradores do norte da Alemanha se surpreenderam com um bola de fogo no céu seguida por uma barulho de explosão. O que eles observaram foi a entrada de um meteorito na atmosfera terrestre. No dia seguinte ao fenômeno, um morador da cidade de Flensburg encontrou no seu jardim uma rocha de 24,5 gramas que apresentava uma crosta negra. Mal sabia ele que a pedra tinha origem no início do sistema solar.

Intrigado com seu achado, Erik Due-Hansen levou a rocha para as autoridades da cidade, que encaminharam o mineral para o Instituto de Planetologia da Universidade de Münster. Lá, a pedra foi analisada pelo professor Addi Bischoff e por seu estudante de doutorado Markus Patzek. Os primeiros resultados da pesquisa mostraram que se trata de um tipo extremamente raro de meteorito. 

As análises microscópicas eletrônicas demonstraram que o meteorito contém minerais, especialmente silicatos e carbonatos, formados na presença de água em pequenos planetesimais (corpos rochosos ou de gelo) no início do nosso sistema solar. A descoberta é significativa porque esse tipo de achado representa apenas 3% dos meteoritos encontrados na Terra. Eles são importantes para os cientistas, pois contêm registro de materiais que podem ter existido no sistema solar há 4,5 bilhões de anos.

De acordo com Bischoff, o meteorito de Flensburg prova que há 4,56 bilhões de anos, no início do sistema solar, pequenos corpos devem ter armazenando água líquida. "Talvez esses corpos também tenham trazido água para a Terra", disse ele. 


Fontes: Gizmodo e phys.org

Imagem: WWU/Markus Patzek/Reprodução