enigmas

Arqueólogos desvendam mistério sobre estranhas ruínas em ilha da Sibéria

Antigas ruínas localizadas em uma pequena ilha na Sibéria intrigaram pesquisadores durante anos. Aparentemente, a estrutura foi abandonada há mais de mil anos sem nunca ter sido utilizada. Agora, arqueólogos acreditam ter desvendado os mistérios da construção conhecida como Por-Bajin.

O complexo de Por-Bajin está localizado em uma ilha de um lago na fronteira entre a Federação Russa e da Mongólia. As ruínas ocupam uma área de 215 x 162 metros e possuem paredes externas de doze metros de altura. Essas paredes são feitas de barro (Por-Bajin se traduz por "casa de barro") sobre uma base de vigas de madeira. 

Os pesquisadores sabiam apenas que o complexo havia sido erguido pelos uigures, povo nômade de origem turcomena, em algum momento do século VIII. Mas os arqueólogos nunca descobriram o objetivo de sua construção nem por que a edificação foi aparentemente abandonada sem jamais ter sido ocupada. Usando datação por carbono-14, cientistas da Universidade de Groningen, na Holanda, e da Academia Russa de Ciências começaram a ter algumas respostas.

Ao usar a técnica para analisar madeiras usadas na construção, os pesquisadores descobriram que ela foi erguida por volta do ano de 777 d.C. Por essa data, os cientistas presumem que a edificação foi construída para ser um mosteiro de uma religião gnóstica conhecida como maniqueísmo. Naquele ano, o líder Tengri Bögü Khan converteu o império uigur a essa extinta religião. Como ele foi morto durante uma rebelião contra o maniqueísmo em 779 d.C., o complexo nunca foi utilizado.


Fonte: IFLScience

Imagem: Andrei Panin/Universidade de Groningen/Reprodução