ESPAÇO

Astrônomos ficam intrigados com a descoberta do “pai” de todos os buracos negros

O professor Liu Jifeng, do Observatório Astronômico Nacional da China, coordenou uma equipe de astrônomos que descobriu um buraco negro estelar gigantesco, batizado de LB-1. Até o momento, pensava-se que os buracos negros estelares não podiam superar 20 vezes a massa do Sol, mas o LB-1 é 70 vezes maior que ela. Por isso, ele tem sido chamado de o “pai” dos buracos negros. 

A descoberta é tão inusitada que pegou os cientistas de surpresa. "Buracos negros dessa massa nem deveriam existir em nossa galáxia, de acordo com a maioria dos modelos atuais de evolução estelar", disse o professor Liu.

O LB-1 fica situado a 15 mil anos-luz da Terra, dentro da Via Láctea. Agora, o desafio dos pesquisadores é explicar como a estrutura se formou. Para isso, estão sendo utilizados os maiores telescópios ópticos do mundo (o Gran Telescopio Canarias, da Espanha, e o Keck I, dos Estados Unidos), para continuar estudando esse surpreendente buraco negro.

"Essa descoberta nos obriga a reexaminar nossos modelos de como os buracos negros de massa estelar se formam", disse o professor David Reitze, da Universidade da Flórida, nos Estados Unidos. Ele acredita que esta descoberta será revolucionária no campo da astrofísica.  Segundo ele,  a identificação do LB-1 “aponta para o renascimento de nossa compreensão da astrofísica dos buracos negros”.


Fonte: Live Science

Imagem: Yu Jingchuan/Beijing Planetarium/Reprodução