Ta Na História

Ayrton Senna e a história do Brasil

Por Thiago Gomide do Tá na História.

Parceria HISTORY e Ta Na História

Existem milhões de textos sobre Ayrton Senna. Considerado por muitos brasileiros o maior ídolo do esporte, o piloto despertava paixões e ódios.

Nesse ano em que se completa 25 anos da morte dele, acredito ser importante fazermos um paralelo entre a sua caminhada bem-sucedida no automobilismo e os desafios que o povo do Brasil enfrentava com a economia, com a corrupção, com a decepção, com a tristeza de não vislumbrar futuro.

1984 é o ano que Senna dá o verdadeiro pontapé inicial na Fórmula 1. Já tinha colecionado prêmios, títulos, mas agora o jogo era diferente.

Correndo pela Toleman, conseguiu um verdadeiro feito em Mônaco. Você pode ver no vídeo.

No Brasil, a população se organizava e protestava exigindo “Diretas Já”. Estávamos tentando entender para onde queríamos ir. Estávamos tentando entender os nossos próximos passos.

Em 1985, vem a primeira vitória. Em Portugal. O Brasil tinha esperança na recuperação de Tancredo Neves.

Tristeza imensa.

Após a morte de Tancredo Neves, o país teria como presidente José Sarney. Governo marcado por hiperinflação, pelo barulhinho das máquinas de preço, pelos fiscais...

Em 1988, no meio de uma avalanche de péssimas notícias, dois alentos: a constituição que tinha saído finalmente do forno e o primeiro título mundial de Senna.

Se no Brasil as coisas não andavam bem, ao menos nos domingos um sorriso voltava para o cotidiano.

Podem até julgar “pão e circo”. O problema é que não tinha muito circo não. A seleção brasileira de futebol, por exemplo, não sabia o que era levantar um caneco desde 1970.

Em 1989, teríamos a eleição pra presidente. Em 1990, o começo do governo trágico do Collor e a retenção da poupança. Em 1991...

Se você apertar o play, verá sobre os anos de 1985 a 1994.

Senna atravessou a nossa história nos ajudando a chutar o eterno complexo de vira-lata.


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.