BIOLOGIA

Bactérias que comem metal são descobertas acidentalmente

Microbiólogos do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) descobriram um tipo de bactéria que come metal, obtendo desse material sua fonte calórica. A descoberta aconteceu acidentalmente durante experimentos com um tipo de manganês. Há mais de um século acreditava-se que esses micróbios existissem, mas nenhum havia sido encontrado ou descrito até agora.

O professor de microbiologia ambiental da Caltech Jared Leadbetter deixou um frasco de vidro coberto com a substância para depois lavá-lo com água. O recipiente, no entanto, foi esquecido por vários meses, período no qual o professor foi trabalhar fora do campus. Quando ele voltou, encontrou o vidro coberto por um material escuro.

Após uma série de análises, Leadbetter e o aluno de pós-doutorado Hang Yu descobriram que o revestimento preto encontrado no frasco era manganês oxidado. O processo foi desncadeado pelas bactérias recém-descobertas, que provavelmente estavam na água da torneira. "Há evidências que parentes dessas criaturas residem em lençóis freáticos, e uma parte da água potável de Pasadena tem origem em aquíferos locais", disse ele.

“Um aspecto maravilhoso dos micróbios na natureza é que eles podem metabolizar materiais aparentemente pouco prováveis, como os metais, produzindo energia útil para a célula”, afirmou Leadbetter. A pesquisa conseguiu revelar que a bactéria tem a capacidade de transformar dióxido de carbono em biomassa, em um processo chamado quimiossíntese. A descoberta ajuda os pesquisadores a entender melhor a geoquímica dos lençóis freáticos.

"Essa descoberta de Jared e Hang preenche uma grande lacuna intelectual em nossa compreensão dos ciclos elementares da Terra e contribui para o entendimento das diversas maneiras pelas quais o manganês, um metal de transição enigmático, mas comum, moldou a evolução da vida em nosso planeta", disse Woodward Fischer, professor de geobiologia da Caltech.


Fonte: CNN e Caltech, via Phys.org

Imagens: Hang Yu/Caltech/Divulgação