BOMBAS ATÔMICAS

A bomba soviética que era muito poderosa para a guerra

Até o momento, o único país que já detonou uma bomba nuclear em uma guerra foi os Estados Unidos. No entanto, em outubro de 1961, a União Soviética quis fazer uma demonstração de seu poderio armamentício, que serviria tanto para amedrontar seus inimigos capitalistas como para esconder a fragilidade de seu arsenal atômico.

Assim nasceu a Tsar Bomba (ou "Bomba do Czar"), um monstro de 8 metros de altura e 2,6 metros de diâmetro, que pesava mais de 27 toneladas, e causou a maior explosão provocada por seres humanos na história. Sua potência era 1500 vezes superior à das bombas de Nagasaki e Hiroshima combinadas. A grande diferença é que a Czar não ocasionou vítimas, já que foi detonada somente como demonstração, na ilha de Nova Zembla, no oceano Ártico. Mesmo assim, em alguns distritos soviéticos, a centenas de quilômetros da zona de explosão, foram relatados prejuízos de todos os tipos, como casas danificadas, telhados desabando e janelas quebradas. 

Mas, essa gigantesca bomba, conhecida pelo nome-código de Ivan, provou ser tão temível quanto impraticável. Devido ao seu enorme tamanho, a bomba não servia aos propósitos de guerra, pois era praticamente impossível de ser transportada. Para ser testada, a arma teve que passar por uma redução de 50 megatons do seu projeto original. Para se ter uma ideia, mesmo com a redução, a bomba era tão grande que as portas de lançamento e os tanques de combustível das asas do Tu-95 (avião de onde ela foi lançada) tiveram de ser removidos. No entanto, seu poder foi capaz de gerar movimentos sísmicos em observatórios da França, Inglaterra, Japão e Estados Unidos. Como a bola de fogo não chegou a fazer contato com o solo, felizmente houve uma quantidade surpreendentemente baixa de radiação.

Basicamente, o peso e o tamanho da bomba limitavam o alcance e a velocidade do bombardeiro especialmente modificado que a carregava. Suas dimensões também impossibilitavam que o artefato fosse carregado por um missíl balístico intercontinental. A falta de praticidade da Tsar Bomba indica que ela foi criada basicamente para ser usada como propaganda na Guerra Fria. Ainda assim, a comunidade internacional criticou veementemente o teste. Não apenas os Estados Unidos e a Grã-Bretanha condenaram a URSS, mas também alguns de seus vizinhos escandinavos, como a Suécia. 


Fonte: BBC 

Imagens: Shutterstock e Croquant/Hex, via Wikimedia Commons