ESPAÇO

China consegue cultivar planta de algodão no lado escuro da Lua

A China conquistou um marco na história espacial que nem a NASA conseguiu alcançar: cultivou com sucesso uma planta terrestre na Lua. Este é o segundo feito do Projeto Chang'e 4, que está explorando o lado escuro lunar com um módulo de pouso. Sua primeira conquista foi a recente descoberta de uma substância gelatinosa misteriosa na superfície do satélite.

A equipe do país asiático levou cinco espécies de organismos biológicos para a Lua: levedura, ovos de mosca e três tipos de sementes: algodão, batata e uma erva chamada arabidopsis. Os organismos morreram rapidamente no ambiente lunar, exceto as sementes de algodão, das quais duas folhas brotaram e permaneceram vivas por um dia lunar, o que equivale a duas semanas na Terra.

A China quer continuar sua pesquisa e levar organismos mais complexos para a Lua, incluindo animais, possivelmente na missão Chang'e 6, programada para o início de 2020. Enquanto isso, a NASA quer fazer o mesmo com as ervas daninhas Arabidopsis, não na Lua, mas em Marte, em uma nova missão em 2021 ou 2022.


Fonte: Popular Science

Imagem: Shutterstock.com