ESPAÇO

Cientista afirma que colisão de asteroide perigoso com a Terra é 100% certa

Recentemente, um asteroide chamado 2006 QQ23, que tem o tamanho da Torre Eiffel, passou "raspando" pela Terra (ele esteve a uma distância de 7,4 milhões de quilômetros, considerada relativamente pequena em termos espaciais). Mas quais as chances de um corpo celeste perigoso atingir nosso planeta em algum momento? De acordo com a astrônoma Danica Remy, a probabilidade é de 100%.

"É 100% certo de que seremos atingidos, mas não temos 100% de certeza de quando isso ocorrerá", afirmou Remy. A cientista é presidente da Fundação B612, uma organização sem fins lucrativos dedicada a evitar que a Terra seja atingida por asteroides. Especialistas em defesa planetária estão desenvolvendo tecnologias para desviar grandes asteróides, mas os cientistas dizem que ainda é necessário aprimorar os meios para detectá-los a tempo de tomar medidas efetivas.

Apesar de seu prognóstico sombrio, Remy diz que ninguém precisa se preocupar com a destruição iminente da Terra. Segundo ela, nosso planeta está relativamente a salvo do impacto de asteroides tão perigosos. "O tipo de devastação que estamos cogitando teria mais consequências regionais do que planetárias, mas ainda assim teria impacto global - no transporte, nas comunicações, no ambiente e no clima", explica.

A Nasa estima que pelo menos 95% dos asteroides de um quilômetro ou maiores já foram catalogados, sem que nenhum deles represente uma ameaça à Terra. O perigo maior vem de rochas espaciais do tamanho da 2006 QQ23, que poderia devastar uma cidade inteira, matando milhões de pessoas e causando grande destruição no caso de um impacto direto. Uma simulação da queda de um asteroide sobre Nova York feita pela agência espacial mostrou que o impacto de um objeto de 60 metros de largura mataria 1,3 milhão de pessoas e destruiria grande parte de Manhattan.


Fonte: NBC News

Imagem: Shutterstock.com