ENGENHARIA GENÉTICA

Cientistas conseguem desenvolver ser híbrido entre humano e macaco

Pela primeira vez, cientistas conseguiram criar um híbrido entre humano e macaco. O ser foi desenvolvido por pesquisadores espanhóis em um laboratório na China. O objetivo futuro é cultivar órgãos compatíveis para transplantes em pessoas a partir de fontes animais.

Na mitologia grega, criaturas híbridas eram conhecidas como quimeras. Para desenvolver esses seres na vida real, os cientistas modificaram a genética embrionária de um macaco, desativando genes essenciais na formação de seus órgãos. Depois, os pesquisadores injetaram no embrião células-tronco humanas, capazes de gerar qualquer tipo de tecido.

O híbrido não chegou a nascer, pois os cientistas interromperam a gestação. A pesquisa foi liderada por Juan Carlos Izpisúa, da Universidade Católica de Murcia (UCAM). Em entrevista ao El País, a pesquisadora Estrella Núñez, que trabalhou no projeto, disse que os resultados são promissores. Mais detalhes serão divulgados em uma publicação científica.

Anteriormente, a equipe de Izpisúa havia realizado o primeiro experimento do mundo de quimeras entre humanos e porcos, mas o resultado não foi tão bem-sucedido. Porém, os mesmos pesquisadores já tiveram sucesso em desenvolver quimeras entre espécies semelhantes entre si, como camundongos e ratos.

O experimento foi feito na China porque lá não há obstáculos legais para esse tipo de estudo. Na maior parte dos países, pesquisas desse tipo enfrentam uma série de restrições. Para evitar romper limites éticos, a comunidade científica estabelece que os embriões híbridos devem ser eliminados após 14 dias de gestação.  


Fonte: El País

Imagem: Shutterstock.com