ENGENHARIA GENÉTICA

Cientistas criam um embrião de rato composto de 4% de células humanas

Pesquisadores da Universidade do Estado de Nova York em Buffalo e do Centro Integral de Câncer Roswell Park publicaram um artigo relatando a criação de um embrião de camundongo (ou rato doméstico) que é 4% humano. Esse híbrido é chamado de quimera humano-animal. Segundo os cientistas, os embriões foram destruídos após 17 dias.

Essa é a maior porcentagem de células humanas já atingida em um animal em experiências do tipo. O experimento sugere que podem ser gerados muitos tipos de células humanas em embriões de camundongos a um ritmo muito mais rápido que em embriões humanos. Para os especialistas, a pesquisa apresenta um enorme potencial no desenvolvimento de tratamento de doenças humanas. 

No estudo, a equipe injetou entre 10 e 12 células-tronco humanas em embriões de camundongos em desenvolvimento. Essas células-tronco se transformaram em milhões de células maduras, incluindo glóbulos vermelhos humanos e células oculares e hepáticas. Em pesquisas anteriores, os cientistas conseguiram atingir apenas 0,1% de células humanas em experimentos com embriões de camundongos.

A pesquisa foi publicada na revista Science Advances. A ideia é que no futuro a técnica possa ser usada para criar órgãos compatíveis para o transplante em humanos. O próximo passo é tentar usar o processo em um animal grande, como um porco ou ovelha, cujos órgãos têm tamanho semelhante aos nossos.


Fontes: CNN e New Scientist

Imagens: Shutterstock.com e Zhixing Hu/Universidade do Estado de Nova York em Buffalo/Divulgação