BIOLOGIA

Cientistas descobrem surpreendente verme de três sexos

Uma espécie de verme bastante fora do comum foi descoberta por cientistas do Caltech (Instituto de Tecnologia da Califórnia). Essa nova espécie, denominada temporariamente Auanema sp. vive no ambiente extremo do Lago Mono (alcalino e extremamente salgado), nos Estados Unidos. O verme pode sobreviver a 500 vezes a dose de arsênico letal para humanos, e possui a particularidade de ter três sexos diferentes.

Em termos de diferenciação dos sexos, as espécies de nematoides costumam ser simples, dividindo-se em hermafroditas e machos. Mas a Auanema sp. também possui vermes do sexo feminino. Além disso, a espécie apresenta características sexuais interessantes, pois os pesquisadores observaram que "o arranjo das papilas genitais nos machos de Auanema sp. é único no gênero".

Esse  tipo de verme transporta as crias dentro de seu corpo, como um canguru, e é um organismo  muito útil para estudar questões fundamentais da neurociência, já que sobrevive facilmente no laboratório, sob temperaturas e pressão normais. Apenas poucos extremófilos podem ser estudados em um ambiente de laboratório, o que sugere uma predisposição genética para a resiliência e flexibilidade para se adaptar tanto a ambientes severos quanto benignos.

Os cientistas querem sequenciar o genoma do Auanema sp. para encontrar genes que possam permitir a resistência ao arsênico, já que a água potável contaminada com arsênico é um grave problema de saúde mundial. Por isso, é vital compreender como esses organismos tratam o arsênico e como a toxina se move e afeta suas células e seus corpos.


Fontes: La Nación e Science Alert

Imagem: Caltech/Reprodução