ESPAÇO

Cientistas encontram evidência de uma proteína extraterrestre em um meteorito

Pela primeira vez, um estudo científico mostra evidências da presença de uma proteína extraterrestre em um meteorito. Embora a pesquisa ainda precise ser revisada por outros cientistas, a descoberta chamou a atenção de especialistas do mundo todo. Se comprovada, a descoberta pode oferecer pistas sobre a possibilidade do surgimento de vida em outros pontos do sistema solar.

Os cientistas do Departamento de Biologia Molecular da Universidade de Harvard acreditam que encontraram a proteína no interior de um meteorito denominado Acfer 086, que caiu na Argélia em 1990. Já haviam sido encontrados aminoácidos e outras moléculas orgânicas em meteoritos (como o Allende, que caiu no México em 1969), mas a descoberta de uma proteína em um corpo celeste continua a ser algo inédito. As proteínas são componentes indispensáveis para a existência da vida, ao representar a estrutura mais importante das células. Ainda que sua presença não garanta a existência de vida fora do planeta, ela é uma condição necessária para isso.

A pesquisa foi liderada pelo físico Malcolm McGeoch, da Universidade de Harvard, que utilizou a tecnologia de espectrometria de massa para analisar o meteorito. Apesar do entusiasmo com a descoberta em potencial, os cientistas alertam que há uma possibilidade de que a substância não seja proteína. Embora os pesquisadores acreditem que essa é a explicação mais provável, pode ser que o material se trate de um polímero (macromolécula formada a partir de unidades estruturais menores). 

Caso a a descoberta realmente se comprove, uma das teorias vigentes sobre as proteínas seria derrubada: a de que elas precisam de água para se formar. Além disso, estariam abertas as possibilidades de existência de outras condições propícias para o surgimento da vida no espaço, além das que se acreditava existir.

 

O meteorito Allende, que caiu no México em 1969, contém aminoácidos


 Fontes: GizmodoScience Alert 

Imagens: Shutterstock.com e H. Raab, via Wikimedia Commons