METEORITOS

Cientistas identificam material mais antigo já encontrado na Terra

O material mais antigo encontrado na Terra acaba de ser identificado por um grupo internacional de cientistas. Trata-se de restos de poeira estelar incrustados em um meteorito que caiu na Austrália em 1969. Estima-se que a substância tenha 7 bilhões de anos. 

De acordo com os pesquisadores, essa poeira estelar é formada por grãos pré-solares (mais antigos que o nosso Sol). Os cientistas explicam que esses grãos foram "cuspidos" por antigas estrelas que estavam morrendo. Parte desse material chegou à Terra em um meteorito de 100 kg que caiu há pouco mais de 50 anos perto da localidade australiana de Murchison.

Encontrar grãos pré-solares é algo muito raro. Eles são minúsculos e estão presentes em apenas cerca de 5% dos meteoritos que caíram na Terra. Por sorte, o meteorito de Murchison contém uma das maiores amostras conhecidas da substância. Depois que esse material foi isolado, os pesquisadores descobriram de que tipo de estrelas eles vieram e quantos anos eles tinham.

As análises de dezenas de grãos pré-solares do meteorito de Murchison revelaram que algumas dessas partículas são até 3 bilhões de anos mais antigas que o Sol (que se formou há 4,6 bilhões de anos). "Esse é um dos estudos mais empolgantes em que trabalhei", disse Philipp Heck, curador do Field Museum e professor da Universidade de Chicago. "Esses são os materiais sólidos mais antigos já encontrados, e eles nos contam como as estrelas se formaram em nossa galáxia", completou. A pesquisa foi publicada na revista científica PNAS, veículo oficial da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.


Fontes: Live Science e IFLScience

Imagem: NASA, W. Sparks (STScI) e R. Sahai (JPL)/Janaína N. Ávila (detalhe do grão de poeira estelar)