CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Cientistas sintetizam organismo vivo totalmente editado pela primeira vez

Pesquisadores britânicos alcançaram um feito inédito na história da engenharia genética. Eles conseguiram recriar e editar em laboratório todo o DNA de um organismo vivo. O estudo abre novas possibilidades para o campo da biologia sintética.

O trabalho foi realizado por cientistas do Laboratório de Biologia Molecular, no Reino Unido. O organismo que eles sintetizaram foi uma bactéria Escherichia coli, que vive no intestino humano. Para isso, eles tiveram que decifrar todo o código genético de uma bactéria original

O passo seguinte foi mapear os códons, sequências de três "letras" do DNA responsáveis pela formação de aminoácidos, representados pelas combinações entre adenina (A), citosina (C), guanina (G) e timina (T). Existem 64 combinações possíveis de códons. Ao reescrever o código genético da bactéria, eles conseguiram reduzir esse número para 61.

[VÍDEO RELACIONADO: A busca pelo gene de Deus]

Esse processo gerou bactérias consideradas mais "enxutas", batizada de Syn61. Essa nova colônia de Escherichia coli é totalmente sintética. As novas bactérias criadas em laboratório apresentam apenas um desenvolvimento mais lento do que seus pares orgânicos.

A partir disso, os cientistas pretendem estudar as consequências da nova configuração genética, além de pesquisar novos modos de recodificação. Futuramente o estudo deve oferecer possibilidades para sintetizar outros organismos. Na medicina, o trabalho pode abrir as portas para novos tratamentos genéticos.


Fonte: Estadão

Imagem: Shutterstock.com