GENÉTICA

Conheça o povo bajau que pode ficar muitos minutos sem respirar embaixo d’água

Os bajaus são um povo nômade que habita as Filipinas, Indonésia e Malásia. Sua população vive principalmente da pesca em águas profundas e da coleta de mariscos. Recentemente, cientistas descobriram que uma adaptação genética fez com que eles se  aprimorassem na habilidade de mergulhar. Devido ao processo de seleção natural, eles possuem uma espécie de “tanque de oxigênio” biológico que permite com que fiquem mais tempo no fundo do mar sem respirar.

De acordo com os pesquisadores, a maior parte das pessoas consegue prender a respiração embaixo d´água por poucos segundos. Já os bajaus têm a habilidade de segurar o ar por até 13 minutos, em profundidades de mais de 60 metros. Quando mergulham atrás de alimento, eles usam apenas óculos de proteção e cintos para afundarem.

Uma pesquisa da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, revelou que isso acontece porque os bajaus desenvolveram baços maiores. O aumento do órgão facilita a renovação de células sanguíneas, aprimorando a capacidade de mergulho. "O baço é um reservatório de glóbulos vermelhos, por isso, quando se contrai, causa um aumento de oxigênio, criando uma espécie de tanque de mergulho biológico", disse Melissa Ilardo, responsável pelo estudo.

Os cientistas constataram que os baços dos bajaus são 50% maiores do que os de povos vizinhos. Mesmo indivíduos da população que não mergulham apresentam a característica. Isso indica que o atributo é genético e não desenvolvido pelo hábito de mergulhar.

Até então, sabia-se que animais como focas e outros mamíferos marinhos que mergulham profundamente possuem baços desproporcionalmente grandes. Mas a relação entre o tamanho do órgão e a capacidade de mergulho nunca havia sido estudada em humanos.


Fontes: BBC e Telegraph

Imagens: Melissa Ilardo/Universidade de Cambridge/Reprodução