vida após morte

Corpos humanos continuam a se mexer um ano depois da morte

Aparentemente, o sono eterno não é tão tranquilo assim. Uma pesquisa australiana indica que os corpos humanos continuam a se mover por mais de um ano após a morte. O fenômeno se deve ao processo de decomposição.

O estudo foi feito em uma "fazenda de corpos" criada há três anos com o objetivo de investigar a decomposição humana. No local, ao utilizar corpos doados voluntariamente para a ciência, os pesquisadores replicam condições de cenas de crimes. A ideia é aprimorar as técnicas forenses aplicadas em investigações policiais.

Usando o efeito de time-lapse em câmeras de vídeo, a pesquisadora Alyson Wilson observou a decomposição de um corpo em intervalos de 30 minutos durante 17 meses. Ela esperava ver certo movimento nos primeiros dias após a morte, mas as imagens mostraram que o cadáver se mexeu por mais de um ano e meio. A pesquisa indica que o movimentos podem ser o resultado da secagem dos ligamentos.

"Descobrimos que os braços se moveram significativamente, de forma que os membros que estavam esticados para baixo, ao lado do corpo, foram parar voltados para fora", disse Wilson à ABC News da Austrália.

"Esta pesquisa é muito importante para ajudar a polícia a resolver crimes, além de auxiliar nas investigações de desastres". Ao todo, mais de 70 corpos foram doados para o projeto, chamado Australian Facility for Taphonomic Experimental Research (AFTER - Estação Australiana de Pesquisa Experimental Tafonômica).


Fontes: IFLScience e ABC News 

Imagem: Shutterstock.com