ALIMENTOS

De onde vem a intolerância à lactose e o que a domesticação dos animais tem a ver com isso?

Muita gente sente mal-estar ao ingerir leite ou seus derivados. O desconforto pode ser causado por intolerância à lactose, que acontece quando o corpo tem dificuldade para digerir o açúcar presente nesses alimentos. O problema é causado pela deficiência de uma enzima chamada lactase.

A intolerância à lactose, pode ser genética ou até mesmo surgir devido a outros fatores, como infecções intestinais. Apesar de todos os mamíferos ingerirem leite materno quando filhotes, eles não mantêm a capacidade de digerir a lactose do leite depois de adultos.  No entanto, grande parte da população de seres humanos consegue digerir o açúcar do leite. 

Uma das teorias mais aceitas para o surgimento da intolerância à lactose diz que há cerca de 9 mil anos, quando os animais começaram a ser domesticados, as pessoas passaram a ingerir o leite de vaca e cabras. Apesar de a maior parte dos humanos adultos serem incapazes de digerir a lactose, ocorreu uma mutação em um indivíduo que deu a ele a capacidade de produzir a enzima lactase. Assim, ele absorvia mais nutrientes do leite e tinha uma vantagem evolutiva sobre os demais. Essa característica teria prevalecido entre a humanidade.

Produzida no intestino delgado, a lactase serve para digerir a lactose. Depois de comer ou beber algo contendo lactose, o alimento digerido passa do estômago para o intestino delgado. Então, a lactase deve quebrar a lactose em açúcares chamados glicose e galactose, que são absorvidos pela corrente sanguínea.

Se não houver lactase suficiente, a lactose não absorvida move-se através do sistema digestivo para o intestino grosso. Lá, bactérias quebram a lactose, produzindo ácidos graxos e gases como dióxido de carbono, hidrogênio e metano. São os ácidos e gases resultantes desse processo que causam os sintomas de intolerância à lactose, como flatulência e inchaço.


Fonte: NHS e Mega Curioso

Imagem: Shutterstock.com