ADOLF HITLER

Descendentes de Hitler teriam pacto para livrar o mundo de uma herança indesejada

A existência de Hitler é uma mancha que a humanidade quer esquecer para sempre. Imaginemos, então, o que deve significar levar o peso do sobrenome do ditador. É por essa razão que, de acordo com algumas fontes, a atual geração de familiares teria feito um pacto para não deixar descendentes, livrando, dessa forma, o mundo de uma herança indesejável.

A revista francesa Paris Match fala sobre a vida de Alexander, Louis e Brian, que vivem em Long Island, nos EUA, e são filhos de William, um sobrinho do ditador. Eles, que passaram boa parte de suas vidas em um bairro onde moram muitos judeus e ocultando seu sobrenome, afirmam que teriam vivido melhor se não fossem descendentes de Hitler. Diante da pergunta do jornalista sobre o suposto pacto para não deixar descendência, a resposta de Alexander Adolf Hitler (hoje Alexander Stuart-Houston), com a rispidez característica de sua linhagem, foi ambígua: “A única regra que temos é não falar com jornalistas”.

Atualmente, apenas cinco parentes de Hitler estão vivos: Alexander, Louis, Brian e dois filhos da meia-irmã Angela: Peter Raubal e Heiner Hochegger, que já alcançaram a velhice e não deixaram descendentes. Sobre William, o pai dos desafortunados Hitlers, diz-se que após tentar se aproveitar, em vão, da ascensão de Hitler, quis chantagear o Führer, ameaçando publicar documentos que mostravam que ele era judeu. Depois, viajou com sua família para os EUA e, na Segunda Guerra, serviu na marinha norte-americana pelas tropas aliadas. Com o fim do conflito, tirou o sobrenome Hitler e adotou o de Stuart-Houston.

Fonte e imagens: RT e MashiTimes