egito antigo

Descoberta no Egito pode dar pistas sobre a localização da tumba de Cleópatra

A descoberta de duas múmias e de artefatos no templo egípcio de Taposiris Magna pode dar pistas sobre a localização da tumba de Cleópatra. Segundo especialistas, é possível que os restos mortais pertençam a pessoas de alta posição social que conviveram com a lendária rainha do Egito. Arqueólogos acreditam que ela também possa estar enterrada no mesmo local.

Segundo os pesquisadores, as múmias foram encontradas em mau estado de conservação. Isso porque houve infiltração de água na câmara onde elas foram sepultadas, há cerca de dois mil anos. Mas evidências mostram que originalmente elas estavam cobertas por folhas de ouro, indicando tratar-se de indivíduos da elite egípcia.

"Embora estejam cobertas de poeira após dois mil anos no subsolo, naquela época essas múmias deveriam ser espetaculares. O fato de estarem cobertas de folhas de ouro demonstra que seriam membros importantes da sociedade", disse Glenn Godenho, egiptólogo da Universidade de Liverpool, na Inglaterra. Exames de raio-x indicam que trata-se de um homem e de uma mulher. Os arqueólogos especulam que os restos mortais poderiam pertencer a sacerdotes que tinham proximidade com o poder. A descoberta foi descrita pelos especialistas como "sensacional".

Os trabalhos de escavação em Taposiris Magna são liderados pela arqueóloga Kathleen Martínez. Após 14 anos de pesquisa no local, ela está convencida que Cleópatra está enterrada lá. No altar do templo, possivelmente usado por sacerdotes durante oferendas aos deuses, foram encontradas 200 moedas com o nome e o rosto da rainha. Os arqueólogos também encontraram uma placa indicando que o templo era dedicado à divindade Ísis. Segundo Martínez, Cleópatra considerava-se a "encarnação humana" da deusa. 


Fonte: The Guardian

Imagem: Arrow Media/Divulgação