evolução

Descobertos fósseis de “elo perdido” com braços de orangotango e pernas de humano

A partir de ossos fossilizados descobertos na Alemanha, cientistas identificaram uma espécie desconhecida de primata. De acordo com os especialistas, as estranhas criaturas tinham braços que se assemelhavam aos de orangotangos e pernas como a dos humanos. Estima-se que esses animais tenham vivido na era do mioceno, há cerca de 11.62 milhões de anos, na região da Baviera.

A espécie foi batizada de Danuvius guggenmosi. De acordo com a líder da pesquisa, a paleontóloga Madelaine Böhme, da Universidade de Tübingen, o Danuvius era "como macaco e hominídeo em um só". Os especialistas sugerem que a criatura se locomovia de um modo estranho, nunca visto até agora. A análise da espécie poderá ajudar a esclarecer como os ancestrais dos humanos evoluíram para caminhar sobre duas pernas.

De acordo com os pesquisadores, os braços levemente alongados do Danuvius sugerem que ele poderia se pendurar em árvores, como os grandes macacos modernos. Mas, ao contrário de outros macacos, como gibões e orangotangos, os indivíduos da espécie poderiam manter as pernas retas e andar de forma ereta enquanto se moviam entre as árvores. Segundo Böhme, os cotovelos, a parte inferior da coluna e os ossos da canela do primata se assemelhavam mais aos dos humanos. Estima-se também que os animais pesavam entre 17 e 31 quilos

Böhme afirmou ainda que a espécie pode ser o melhor modelo que temos para o "elo perdido" entre humanos e macacos. Os quatro fósseis - de um macho, duas fêmeas e um jovem - foram encontrados durante escavações em um poço de argila entre 2015 e 2018. O estudo sobre a descoberta foi publicado na revista Nature.


Fontes: Live Science e BBC

Imagens: Christoph Jäckle (fotos) e Velizar Simeonovski (ilustração)/Universidade de Tübingen Eberhard Karls/Divulgação