NAZISMO

Diário nazista pode revelar local onde estariam escondidas 30 toneladas de ouro

Durante a Segunda Guerra Mundial os nazistas roubaram tesouros incalculáveis, principalmente de famílias judaicas. Grande parte dessa fortuna nunca foi recuperada, mas um diário descoberto recentemente pode revelar onde estariam 30 toneladas de ouro escondidas por oficiais do terceiro reich. As anotações teriam sido feitas há 75 anos por um membro da SS.

O diário é atribuído um oficial nazista que usava o pseudônimo "Michaelis". As anotações detalhavam os planos do comandante Heinrich Himmler para esconder tesouros pilhados das vítimas do nazismo. Entre essas riquezas, estavam joias, obras de arte, ouro e objetos religiosos.

De acordo com o diário, o tesouro foi escondido em 11 lugares diferentes. Um desses locais é um poço abandonado que se estende por 60 metros abaixo do Palácio Hochberg, construído na Polônia no século XVI. O ouro que supostamente está no local seria avaliado em bilhões de euros.

O diário de "Michaelis" foi guardado durante anos por membros de uma loja maçônica milenar na Alemanha. Figuras da elite nazista faziam parte da sociedade secreta durante a época do terceiro reich, inclusive o suposto autor das anotações. Em 2019, a loja maçônica entregou o diário a uma fundação polonesa chamada Silesian Bridge como "um pedido de desculpas ao povo da Polônia pela Segunda Guerra Mundial". 

Junto com o diário, estaria um mapa apontando os locais onde os tesouros estão escondidos. Especialistas confirmaram que as anotações foram feitas mesmo na época da Segunda Guerra, mas a autenticidade das informações ainda precisa ser verificada. A região onde fica o Palácio Hochberg foi realmente usada pelos nazistas para guardar material roubado, principalmente obras de arte que foram escondidas em minas, cavernas e túneis.


Fonte: Live Science

Imagem: Pani Garmyder / Shutterstock.com