ASTEROIDES

E assim foram os primeiros dias na Terra após o impacto que extinguiu os dinossauros

Há aproximadamente 66 milhões de anos, um gigantesco asteroide se chocou com a Terra na atual região do Golfo do México. A colisão acabou com 75% da vida planetária, incluindo os dinossauros, e abriu caminho para novas formas de vida. Um estudo analisou um cilindro rochoso extraído da cratera gerada pelo asteroide, permitindo aos cientistas saber exatamente o que ocorreu a partir do infernal primeiro dia após o impacto. Para isso, foi preciso escavar 1334 metros abaixo do leito marinho.

Assim, foi possível saber que a colisão liberou uma energia equivalente a de 10 bilhões de bombas como a de Hiroshima, volatilizou na atmosfera 425 gigatoneladas de dióxido de carbono e 325 gigatoneladas de sulfetos, e gerou um tsunami que levou a água do Caribe até grandes lagos dos Estados Unidos, a cerca de 2500 quilômetros de distância. Durante o primeiro dia, os incêndios massivos se estenderam por toda a região, e os sulfetos na atmosfera impediram a radiação solar a partir da data e até cerca de 30 anos depois.

Durante essas três décadas, a temperatura média global diminuiu 20 graus Celsius, formando condições que arrasaram quase imediatamente com a vida na região, e, mais gradualmente com a vida de todo o resto do planeta Terra. “Estamos diante de evidências empíricas da conexão entre o impacto do asteroide e a grande extinção”, afirmou Jaime Urrutia, pesquisador da Universidade Nacional Autônoma do México, e um dos coordenadores da pesquisa.


Fonte: El País 

Imagem: Shutterstock.com