INQUISIÇÃO

Encontrada a carta perdida que colocou Galileu em apuros com a Igreja

 A grande maioria dos historiadores aponta o histórico enfrentamento entre Galileu Galilei e a Igreja Católica como o fato mais emblemático envolvendo ciência e religião. O que eles descrevem é que o cientista italiano postulou que o Sol é o centro do universo, contradizendo os textos bíblicos, que afirmam que a Terra seria esse centro, o que resultou em uma acusação de heresia e posterior prisão domiciliar de Galileu.

No entanto, essa imagem de homem decidido e disposto a enfrentar a opressão supersticiosa de uma instituição desafiada pela ciência está hoje em dúvida. Isso por conta da descoberta de uma carta escrita pelo próprio Galileu e que se considerava perdida. Um estudante da Universidade de Bérgamo, na Itália, a encontrou enquanto investigava vários documentos do cientista italiano. Essa carta acabou colocando o astrônomo em apuros com a Igreja

A teoria heliocêntrica, que havia sido postulada pelo astrónomo polonês Nicolau Copérnico, cem anos antes, não foi tão retrucada pela Igreja. Na verdade, os teólogos se limitaram a considerá-la de forma puramente matemática, como auxílio para os cálculos astronômicos. Galileu também foi muito bem recebido em Roma, em 1611, quando teve uma audiência com o papa.

Alguns professores de Roma não teriam gostado de Galileu, não tanto por contradizer a Bíblia, mas por ciúmes da atenção que estava sendo dada ao italiano. A carta recentemente encontrada foi escrita a Castelli, um discípulo de Galileu, com a intenção de ajudá-lo a enfrentar críticas recebidas por parte de um grupo de nobres indignados com a teoria copernicana.

Galileu, devoto católico, escreveu que, entre a ciência e a religião não há conflito algum, posto que a Bíblia nunca se propôs a ser um livro de ciências. “As Sagradas Escrituras não erram, mas seus intérpretes sim, especialmente se sempre se baseiam no significado literal das palavras”, escreveu ao pupilo. O problema é que uma cópia da carta caiu nas mãos de autoridades da Igreja.

O teor do documento incomodou os teólogos da época, que o denunciaram à Inquisição de Florença. Para tentar amenizar o estrago, Galileu escreveu uma nova versão da carta e alegou que o texto original enviado para a Inquisão era falso. Várias cópias da segunda versão da carta já haviam sido descobertas, mas a original era considerada perdida. O documento histórico é uma das primeiras defesas da liberdade da ciência contra interferências ideológicas. 


Fonte: BBC 

Imagens: Shutterstock.com e The Royal Society