animais

Encontrado o primeiro animal que não precisa de oxigênio para sobreviver

Uma equipe de cientistas identificou pela primeira vez um tipo de animal que não precisa respirar para sobreviver. De acordo com pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, trata-se de um organismo multicelular sem genoma mitocondrial. Isso significa que ele é capaz de viver sem oxigênio.

O animal é um parasita da classe myxozoa, parente distante das águas-vivas, batizado de Henneguya salminicola. O organismo tem apenas dez células e vive nos músculos de salmões. Ao analisar a criatura, os cientistas se surpreenderam ao constatar a ausência do genoma mitocondrial (porção do DNA das mitocôndrias que contém os genes responsáveis pela respiração). Sem esse recurso celular, considerado imprescindível para toda a vida animal, o parasita é incapaz de processar oxigênio para respiração.

"A respiração aeróbica era considerada onipresente nos animais, mas agora confirmamos que esse não é o caso", afirmou a professora Dorothee Huchon, do curso de Zoologia da Universidade de Tel Aviv. "Nossa descoberta mostra que a evolução pode ir em direções estranhas. A respiração aeróbica é uma importante fonte de energia e, no entanto, encontramos um animal que abandonou esse caminho", completou.

"Ainda não está claro para nós como o parasita gera energia", disse ainda Huchon. "Ele pode retirá-la das células de peixes circundantes ou apresentar um tipo diferente de respiração", teorizou. O estudo foi publicado na revista  Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

A descoberta também pode refletir na busca por vida fora da Terra. Isso porque é possível que ambientes extraterrestres que antes eram descartados devido à falta de oxigênio podem, na verdade, abrigar organismos multicelulares capazes de sobreviver em condições anaeróbicas, como o parasita Henneguya.


Fontes: IFLScience, Live Science e Universidade de Tel Aviv

Imagem: Stephen Douglas Atkinson/Universidade de Tel Aviv/PNAS/Reprodução