meio ambiente

Entenda o misterioso fenômeno da neve negra que ameaça as geleiras do mundo

Uma equipe de geólogos dos Estados Unidos revelou, no último mês, uma aceleração de 20% do fenômeno conhecido como “neve escura”, que diminui a capacidade do gelo de refletir a luz que recebe. O fenômeno acontece entre a região do Himalaia até o Ártico pelo aumento da quantidade de pó que provém do solo, da fuligem gerada por incêndios e das partículas ultrafinas do carbono negro e do combustível de motores industriais. Assim, as camadas de gelo e de neve em todo o mundo absorvem mais calor solar e aceleram o processo de degelo. A camada de gelo do Ártico perdeu cerca de 13 milhões de toneladas entre 1992 e 2001, mas poderá perder um extra de 27 milhões de toneladas por ano, o que imediatamente se refletiria no aumento do nível do mar em vários centímetros para o ano de 2100. Segundo medições de satélites, na última década, a superfície do manto gelado da Groenlândia escureceu significativamente durante a temporada de degelo. Tanto que em algumas áreas, o período dura cerca de seis a onze dias mais do que há 40 anos. Com isso, cada vez mais áreas estão descobertas, o que aumenta a erosão e transforma o processo em um ciclo perigosamente vicioso.

Fonte e Imagens:

Colima 3.0 

RT