Dinossauros

Especialistas encontram primeira evidência de um dinossauro aquático

Dinossauros dominaram a Terra por milhões de anos mas será que eles também viviam na água? Segundo artigo publicado na revista Nature, um grupo de pesquisadores sugere que o terópode espinossauro (Spinosaurus aegyptiacus), espécie que já era conhecida, foi um predador aquático que utilizava sua cauda para impulsionar-se na água e caçar nos rios. A descoberta se baseia em análises de uma cauda gigante fossilizada, que se trata da primeira “evidência inequívoca de uma estrutura propulsora aquática em um dinossauro”.

Há anos os cientistas desconfiavam que o espinossauro era capaz de nadar, mas só agora eles encontraram uma evidência que corrobora a hipótese. Essa “barbatana” pré-histórica foi descoberta em um depósito de rochas cretáceas do deserto do Saara, em Marrocos. Estima-se que o animal viveu há 100 milhões de anos e media cerca de 15 metros de comprimento. Além disso, trata-se do único esqueleto conservado desse dinossauro após um outro exemplar ter sido destruído durante a Segunda Guerra Mundial. 

"Até seus ossos se parecem mais com os de animais aquáticos do que com os de outros dinossauros. Eles são muito densos, algo que se vê em animais como pinguins ou peixes-bois, e isso é importante para flutuabilidade na água", disse o paleontólogo Nizar Ibrahim, da Universidade de Detroit Mercy, nos Estados Unidos. Os cientistas acreditam que o espinossauro se alimentava de tubarões gigantes e outros peixes de grande porte, chamados celacantos.

Segundo Ibrahim, essa pesquisa desconstrói a ideia de que “os dinossauros não aviários nunca invadiram o reino aquático”. Pelo contrário, ela pode afirmar que a espécie passava a maior parte de sua vida na água, perseguindo presas nas profundidades, e não somente esperando-as na costa, de acordo com o cientista. Confira abaixo um vídeo sobre a descoberta (em inglês).


Fontes: BBC e Science Alert

Imagem: Nobu Tamura, via Wikimedia Commons